Movimento Mulheres Contra o Fascismo fará manifestação em Manaus

O Movimento Mulheres Contra o Fascismo realizará uma manifestação neste sábado, 29, no Largo São Sebastião, Manaus. O Movimento iniciou a partir da adesão de diversas mulheres em todo o Brasil nos grupos do Facebook. O ato está sendo convocado em mais de 100 cidades brasileiras, além de dezenas de cidades do exterior, como Lisboa, Porto e Coimbra (Portugal), Berlim (Alemanha), Lyon (França), Galway (Irlanda), Barcelona (Espanha), Sidney e Gold Coast (Austrália) e Haia (Holanda), dentre outras.

Em Manaus a manifestação é organizada pelo Mulheres 8M – Manaus, que é um coletivo que agrega uma diversidade de movimentos, entidades e mulheres ativistas dos direitos das mulheres; a manifestação visa alertar a população contra as ideias radicais e preconceituosas que incitam a violência, principalmente com as mulheres, defendidas por Jair Bolsonaro (PSL), candidato à Presidência da República nestas eleições.

“Nossa pauta é unificada, pois entendemos que a liderança de uma nação exige virtude cidadã, compromisso público, moralidade ilibada, espírito pacifista e dedicação a reduzir e sanar as diferenças sociais envolvendo minorias para o bem estar coletivo”, diz nota divulgada nas redes sociais.

De 2005 a 2015, mais de 830 mulheres foram vítimas de homicídios no Amazonas, aparecendo com o quarto maior crescimento do País, com 139,6%, de acordo com dados do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). Quando se confrontam os dados de 2014 e 2015, o Estado salta para o topo do ranking nacional, registrando 80 e 115 assassinatos, respectivamente, com 43,8% de crescimento. O Brasil continua em 4° lugar no ranking da violência contra mulher e esse número poderia ser maior, mas muitas vítimas deixam de registrar as agressões por medo.

O Movimento também condena a reforma trabalhista, que permitiu o trabalho de mulheres grávidas em ambientes considerados insalubres e a reforma da Previdência, que aumenta para 62 anos a idade mínima para a aposentadoria de mulheres.

“Queremos convidar toda a sociedade para unir forças conosco e não ter medo de se manifestar. A Constituição Brasileira assegura a seus cidadãos e cidadãs o direito a livre manifestação e de reunião. Junte-se a nós e vamos mostrar com quantas fraquejadas se derruba um fascista!”, diz a nota.

Durante o evento, haverá performances teatrais e musicais. Sugerimos que levem garrafinhas com água para amenizar o calor.

O quê: Manifestação Mulheres Contra o Fascismo.
Onde: Largo de São Sebastião – Centro de Manaus.
Horário: 17h
Quando: 29 de setembro (sábado)

Acompanhe a nossa página nas redes sociais: https://www.facebook.com/events/1970294173057322/

============================================================

NOTA OFICIAL
“Que nada nos defina. Que nada nos sujeite. Que a liberdade seja a nossa própria substância.” Simone Beauvoir

As Mulheres do Amazonas se opõem às ideias fascistas, radicais e preconceituosas que incitam a violência defendidas pelo candidato Jair Bolsonaro, que busca governar o país. Entendemos que a liderança de uma nação exige virtude cidadã, compromisso público, moralidade ilibada e dedicação a reduzir e sanar as diferenças sociais envolvendo minorias para o bem estar coletivo.

Por isso, nós mulheres Amazonenses não vamos nos calar!

Vivemos tempos marcados pela incerteza e subtração de direitos. Hoje, no Brasil, uma mulher é violentada a cada 11 minutos; é realizada uma denúncia de violência contra a mulher a cada 7 minutos. O Brasil é o quinto país do mundo no ranking de violência contra a mulher. As reformas trabalhista e da Previdência pesam sobre os ombros das mulheres que devem se aposentar com mais idade e têm obrigatoriedade de trabalhar em locais insalubres. O atual governo violenta os direitos das mulheres e não aceitamos a política do ‘quanto pior, melhor’.

No Estado do Amazonas, os casos de agressão contra as mulheres cresceram 17,4% em 2017 em relação a 2015. A Delegacia da Mulher registrou 9 mil casos até dezembro de 2016. No mesmo ano, até outubro, foram registrados em todas as delegacias um total de 12.844 casos de violência contra mulher, conforme dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado. São indicadores oficiais, mas sabemos que muitas mulheres deixam de registrar as agressões por medo de serem mortas (FEMINICÍDIO) ou por vergonha.

É contra esse cenário de violência física e moral e de violação dos direitos civis que nos mobilizamos para mais um desafio: evitar eleger candidaturas à Presidência, ao Senado e às casas legislativas Federal e Estadual com convicções machistas, misóginas, violentas e preconceituosas empregue sua cultura inquisitiva para liderar o Brasil.

Nós mulheres, diversas e plurais, negras, indígenas, brancas, mães e avós, do campo e da cidade, jovens, sábias senhoras, trabalhadoras, estudantes, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais, artistas, mulheres com deficiência, donas de casa, religiosas e sem religião, feministas e não feministas, de partidos políticos e sem partido político; defendemos uma sociedade pacífica, sem cidadãos subjulgados, mas livres para exercerem seus direitos constitucionais e culturais, que respeite o Estatuto da Criança e do Adolescente que protege a dignidade das nossa crianças e adolescentes; uma sociedade democrática, solidária, justa, fraterna, acolhedora e com liberdade de escolhas. E isso só é possível com a participação de todas e todos!

O que temos mais temos em comum? O respeito, o diálogo e a compreensão de que neste momento político que o Brasil vive precisamos unir forças para combater a misoginia, o machismo, a lgbtfobia, o autoritarismo, o racismo, o preconceito e o ódio que são típicos de regimes fascistas.

ESTAMOS UNIDAS CONTRA O FASCISMO.

E estaremos juntas no Ato Público Mulheres Contra o Fascismo, no dia 29 de setembro.

Acompanhe a nossa página nas redes sociais: https://www.facebook.com/events/1970294173057322/

Convidamos toda a sociedade amazonense a unir forças conosco e não ter medo de se manifestar. A Constituição Brasileira assegura a seus cidadãos e cidadãs o direito a livre manifestação e de reunião.

Junte-se a nós e vamos mostrar com quantas fraquejadas se derruba um fascista!

Uma sociedade sem fascismo é direitos das Mulheres!

Comissão Organizadora do Ato Mulheres Contra o Fascismo
Equipe de Comunicação