25.3 C
Manaus
terça-feira, fevereiro 27, 2024

Novembro marca queda histórica no desmatamento da Amazônia

Em um desenvolvimento ambiental significativo, o desmatamento na Amazônia registrou uma queda acentuada de 63,8% em novembro de 2023, atingindo o menor nível desde o início da série histórica em 2015, conforme dados do sistema Deter-B do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O total de alertas de desmatamento foi de 201 km², com os estados do Pará, Mato Grosso e Maranhão apresentando as maiores áreas afetadas.

Segundo Rômulo Batista, porta-voz do Greenpeace Brasil, a redução é um resultado direto da intensificação das ações de controle e fiscalização, bem como da retomada de políticas públicas de proteção ambiental. A tendência de queda nos alertas de desmatamento vem sendo observada desde abril, com uma sequência de oito meses de diminuição nos índices, refletindo a restauração da governança ambiental no país.

No contexto da Conferência Global sobre Mudanças Climáticas (COP28) em Dubai, Batista enfatiza a importância do compromisso do Brasil em erradicar o desmatamento na Amazônia. Ele ressalta que, apesar dos progressos recentes, o país ainda está distante de alcançar a meta de reduzir em 48% suas emissões de gases de efeito estufa até 2025, conforme o compromisso assumido na Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC) junto à ONU.

Batista alerta sobre a necessidade de ações coordenadas entre o governo federal e os governos estaduais para reduzir ainda mais o desmatamento e impedir a aprovação de projetos antiambientais, como o Marco Temporal, que ameaçam o meio ambiente e os povos da floresta.

O Greenpeace Brasil, uma organização ativista ambiental sem fins lucrativos atuando desde 1992, continua empenhada na luta por um mundo mais verde, justo e pacífico, desafiando governos e corporações e defendendo as florestas contra a destruição.

spot_img