Núcleo de Combate ao Feminicídio ajuda no enfrentamento à violência contra a mulher

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), visando reforçar o combate à violência contra a mulher e, principalmente, dar mais atenção e agilidade à elucidação desses crimes, inaugurou o Núcleo de Combate ao Feminicídio (NFC). A unidade fica localizada nas dependências da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), na avenida Autaz Mirim, bairro Jorge Teixeira, zona leste de Manaus.

O feminicídio é o homicídio praticado contra mulheres, por repulsa ou ódio ao gênero feminino, que muitas vezes é decorrente da violência doméstica, e tem como base a Lei Federal nº 13.104/2015, que instituiu um novo agravante específico de homicídio.

De acordo com a delegada Marília Campello, coordenadora do NFC, a criação do Núcleo tornou as investigações mais céleres, além de um olhar mais cuidadoso na apuração dos delitos de violência contra as mulheres no Amazonas.

“A criação do Núcleo foi um grande feito da PC-AM, representada brilhantemente pela delegada-geral Emília Ferraz. Os casos antes eram investigados pela DEHS, mas sempre surgia a dúvida se o caso ficaria com a Especializada em Homicídios ou com a Especializada em Crimes contra a Mulher, e agora não existem mais dúvidas, todos sabem onde está sendo investigado e a quem se deve procurar” explicou a delegada.

Desde o ano da sua criação, todos os crimes desse tipo foram elucidados. Isso se deu graças ao trabalho intenso das equipes, que não medem esforços para levar um pouco de Justiça e conforto para os familiares das vítimas de feminicídio.

“Sempre que somos acionados e tomamos conhecimento de um crime desse, imediatamente as nossas equipes plantonistas da Especializada começam as diligências em torno dele, por esse motivo temos um resultado positivo na resolução desses casos”, comenta Marília.

O núcleo trabalha em conjunto com as Delegacias Especializadas em Crime Contra a Mulher (DECCMs), e elas atuam recebendo as denúncias envolvendo violência doméstica, mas, em casos de feminicídio, a condução das investigações é feita pelo NFC. Quando uma mulher se vê dentro de um relacionamento em que está sendo coagida, violentada e até mesmo agredida, ela precisa, além de registrar o Boletim de Ocorrência (BO), também buscar maneiras de sair dessa relação.

“O feminicídio não é um evento violento único na vida da maioria dessas vítimas, às vezes o agressor já apresentava um comportamento agressivo e que não era registrado um BO. Sugerimos que as vítimas, nos primeiros sinais de agressão, procurem uma delegacia e registrem um BO, além de buscar por ajuda psicológica para tentar sair desse relacionamento abusivo”, ressalta a autoridade policial.

Denúncias – A sociedade pode colaborar no combate à violência doméstica e evitar que aconteça algo fatal. Se presenciar alguma violência, as denúncias podem ser feitas pelo 180 ou pelo 181, da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-AM), e o registro do BO pode ser feito em qualquer uma das três DECCMs, localizadas nos bairros Cidade de Deus, Parque Dez de Novembro e Colônia Oliveira Machado, nas zonas norte, centro-sul e sul, respectivamente.

FOTO: Erlon Rodrigues/PC-AM