Operação Hefesto combate a comercialização irregular de materiais e sucatas metálicas em Manaus

A Prefeitura de Manaus, por meio da Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados do Município de Manaus (Ageman), integrou a operação Hefesto, uma ação conjunta do governo do Estado, deflagrada nesta quarta-feira, 30/6, com o objetivo de combater a comercialização irregular de materiais e sucatas metálicas na capital amazonense.

A iniciativa atende a uma medida do prefeito David Almeida de garantir a preservação do patrimônio público, de forma a não prejudicar a população com a descontinuidade dos serviços.

Denominada de Hefesto, uma alusão ao deus grego do fogo e dos metais, a operação segue até a próxima sexta-feira, 2/7, e está percorrendo os mais de 300 pontos de venda de sucata e ferro velho distribuídos em seis áreas da cidade.

“Os furtos desse tipo de material tem aumentado significativamente, causando inúmeros prejuízos aos consumidores e também às concessionárias. São sistemas de comunicação que ficam inoperantes por dias devido ao furto dos cabos. Projetos de iluminação pública, que precisam ser refeitos, porque levaram toda a fiação. Tivemos uma ocasião em que a cidade sofreu desabastecimento de água devido ao furto de cabos elétricos, ocorridos na área externa da maior e principal Estação de Tratamento de Água, que fica na Compensa. Enfim, são muitas as ocorrências registradas e que estão comprometendo os serviços públicos essenciais”, informa o diretor-presidente da Ageman, Fábio Alho.

Trabalhos

No primeiro dia da operação, que terminou por volta de 16h, estabelecimentos foram interditados e pessoas foram encaminhadas às delegacias para prestarem informações à polícia, a respeito de material de procedência duvidosa e que estava sendo comercializado.

Os trabalhos foram conduzidos pelo Comando de Policiamento Metropolitano (CPM) da Polícia Militar, por meio de suas unidades subordinadas, com reforço da Polícia Civil, além de contar com o apoio de fiscais de outras cinco pastas da administração municipal como as secretarias municipais de Finanças e Tecnologia de Informação (Semef), Limpeza Urbana (Semulsp), Executiva de Gestão Integrada Municipal, os institutos municipais de Mobilidade Urbana (IMMU), e de Planejamento Urbano (Implurb), e a Casa Militar.

Além dos representantes da Prefeitura de Manaus e do governo do Estado, a operação contou ainda com a presença de técnicos das concessionárias de internet e telefonia fixa e móvel, de iluminação pública, abastecimento de água e de energia, que auxiliaram na identificação do material furtado. Todo o material recolhido foi levado para um galpão na zona Centro-Oeste de Manaus.

Texto – Tereza Teófilo / Ageman

Foto – Divulgação / Ageman