19.06.19 Organizações da Sociedade Civil recebem orientação para o combate às hepatites virais.rFotos: Divulgação/Semsa.

Em preparação para o Julho Amarelo, mês da Campanha Nacional de Combate às Hepatites Virais, a Prefeitura de Manaus promoveu na manhã desta quarta-feira, 19/6, um encontro com representantes de Organizações da Sociedade Civil (OSCs) que atuam em Manaus no controle e combate às Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs). O evento foi realizado no auditório do Complexo de Saúde Oeste, no bairro da Paz, zona Centro-Oeste.

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) disponibiliza o teste rápido para Hepatites B e C em 156 Unidades de Saúde. De acordo com a técnica do Núcleo de Controle das ISTs/Aids e Hepatites Virais da Semsa, farmacêutica-bioquímica Christiane Usui, o evento teve como objetivo orientar sobre sintomas, diagnóstico e tratamento das hepatites virais, além das formas de prevenção.

“A organização do encontro foi mais uma estratégia para esclarecer a população sobre o controle das hepatites virais, em especial as do tipo B e C que são infecções sexualmente transmissíveis. Normalmente, quando se trata do controle das ISTs, a população e as organizações da sociedade civil recebem mais informações sobre o HIV/Aids. Mas a hepatite também é uma doença muito grave e por isso é preciso encontrar formas de informar mais a sociedade sobre a doença e as formas de prevenção”, explicou Christiane Usui.

A hepatite é a inflamação do fígado e pode ser causada por vírus (tipo A, B, C, D e E) ou pelo uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, assim como por doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. Os tipos B, C e D são as formas mais graves, podendo ser transmitidos por relação sexual desprotegida, transfusão sanguínea e derivados do sangue, assim como o compartilhamento de seringas, escova de dente, lâmina de barbear, alicate de unha e outros objetos perfurocortantes.

A prevenção, informou Christiane Usui, inclui vacinação contra a hepatite A para crianças de até dois anos de idade, vacina contra a hepatite B e o uso do preservativo nas relações sexuais. “Tanto a vacina quanto o preservativo estão disponíveis no Sistema Único de Saúde de forma gratuita”, afirmou a farmacêutica.

Controle

O vírus da hepatite fica alojado no fígado, causando uma inflamação que agride o órgão, podendo levar à hepatite crônica, cirrose, câncer e causar a morte do paciente. “É uma doença que se apresenta de forma silenciosa, sem sintomas na fase inicial e por isso muitas pessoas não sabem que têm a infecção, então é preciso que a população faça o exame para um diagnóstico precoce da doença, evitando o agravamento”, alertou Christiane Usui.

Para o educador social Kevin Alvarenga de Freitas, que participou do encontro e trabalha na Organização Não Governamental (ONG) Rede Amizade na promoção dos direitos de pessoas vivendo com HIV/Aids, é importante que as pessoas que atuam em ONGs tenham as informações corretas para orientar a população.

“Trabalhamos com ações em campo, em comunidades carentes e localidades onde as pessoas não têm acesso à informação. Minha atuação na ONG é como educador social, mas não sou profissional da área de saúde, então é preciso se capacitar para ter o conhecimento necessário e repassar as informações corretas, mesmo porque as pessoas ainda não falam muito sobre as hepatites virais”, afirmou Kevin Freitas.

Texto – Eurivânia Galúcio / Semsa

Foto – Divulgação / Semsa