Take a fresh look at your lifestyle.

Órgãos do Estado participam de Workshop para planejar ações contra queimadas para 2021

-publicidade-

Órgãos do Sistema Estadual do Meio Ambiente, de Segurança Pública do Amazonas e instituições federais estiveram reunidos, nesta quinta-feira (10/12), para um Workshop de Avaliação das Operações Verde Brasil e Curuquetê 2, que atuaram no combate ao desmatamento e às queimadas ilegais no estado em 2020. A proposta do encontro, que segue até a sexta-feira (11/12), é avaliar os resultados obtidos neste ano e iniciar o planejamento das estratégias de atuação para 2021.

O encontro reúne membros da Casa Militar, da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-AM), da Secretaria Executiva-Adjunta de Planejamento e Gestão Integrada (Seagi), do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), além de representantes do Batalhão Ambiental da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil do Amazonas.

Entre as instituições federais participantes estão o Exército Brasileiro e a Polícia Rodoviária Federal (PRF). O evento também conta com a participação de órgãos de controle do Amazonas, como a Procuradoria Geral do Estado (PGE) e do Ministério Público Federal (MPF).

Segundo a secretária adjunta de gestão ambiental da Sema, Christina Fischer, o Workshop resultará no esboço de um plano integrado de ações para o próximo ano, a partir das percepções das equipes atuantes na força-tarefa.

“Conter o avanço do desmatamento e das queimadas ilegais tem se imposto como um dos maiores desafios da gestão pública e, por isso, é uma das prioridades atuais do Governo do Amazonas. Parte dessa atuação inclui agora a avaliação do trabalho que nós realizamos, identificando as falhas e ajustando as demandas de todas as instituições, para termos um trabalho integrado mais efetivo em 2021”, explicou.

A Operação Curuquetê 2 teve início no dia 16 de junho e finalizou as atividades do ano em 27 de novembro. Durante o período, as atividades estiveram concentradas, sobretudo, nos municípios da região Sul do Amazonas, que concentraram 66% dos focos de calor registrados em 2020 e 85% dos alertas de desmatamento emitidos pelo Sistema Deter, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

A ação do Estado acontece em articulação com a Operação Verde Brasil 2, deflagrada pelo Governo Federal, por meio da Garantia da Lei e da Ordem (GLO). No Amazonas, as equipes seguem em campo, tanto no Sul do estado como na Região Metropolitana de Manaus (RMM).

Balanços e perspectivas – Neste primeiro dia de Workshop, cada órgão envolvido apresentou um balanço das atividades realizadas, além dos pontos positivos e negativos do trabalho executado. A secretária Christina Fischer destacou que, apesar dos índices negativos para o Estado, o Amazonas tem condições de atingir as metas propostas no Plano de Prevenção e Controle ao Desmatamento e Queimadas do Estado (PPCDQ).

“A meta do PPCDQ é diminuir o desmatamento no Amazonas em 15% até 2022, a partir da taxa de 2019. Apesar de fecharmos esse ano em alta, em 2019 nós tínhamos um aumento de 37% em relação ao ano anterior e, agora, esse aumento foi de 6%. Obviamente não podemos comemorar, mas mostra que estamos no caminho certo”, pontuou.

O diretor-presidente do Ipaam, Juliano Valente, enfatizou o aprimoramento da integração entre os órgãos estaduais e federais como determinante para o próximo ano. “Neste ano houve uma composição de esforços, com as equipes de Comando e Controle do Estado somando nesse processo conosco, para aprimorar a parte de Logística e Inteligência das ações. É importante que a gente aprimore ainda mais essa integração para estabelecer um novo marco para o ano que vem”, disse.

Para o coronel Louismar Bonates, secretário da SSP-AM, é necessário que as equipes participantes das ações de fiscalização e combate estejam em campo ainda mais cedo. “Nesse ano nós começamos dois meses antes com relação à primeira etapa da Operação Curuquetê, em 2019. Mas é preciso que esse seja um trabalho contínuo, com início ainda no primeiro semestre. Por isso o planejamento desde agora das nossas ações”, afirmou.

Pela primeira vez participando da Operação, o secretário executivo adjunto de planejamento e gestão integrada, coronel Hermes Macedo, ressaltou o compromisso assumido pela pasta. “Nossa função é dar apoio para que todas as instituições participantes atuem de forma alinhada com toda a estrutura de Governo. Nesse sentido, a Seagi vem colaborar com uma coordenação estratégica mais específica, montando Centros Integrados de Comando e Controle no Sul do Amazonas, para melhorar nossos resultados”, exemplificou.

O procurador-chefe da Procuradoria do Meio Ambiente, Daniel Pinheiro Viegas, destacou a importância do diálogo entre as instituições. “A partir da Procuradoria do Estado eu pude testemunhar as dificuldades impostas no estado no combate às queimadas. Esse Workshop é uma demonstração de que não são ações feitas sem pensar. Esse planejamento é um momento importante de avaliação e, sobretudo, de construção”, contou.

Nesta quinta-feira (10/12), um debate encerrou as atividades do Workshop, que segue na manhã desta sexta-feira (11/12), com a construção do planejamento integrado para 2021.

Foto: Lindemberg Cavalcante/SSP-AM

-publicidade-