Take a fresh look at your lifestyle.

Pacientes com câncer sem renda mensal fixa buscam apoio na Lacc para dar continuidade ao tratamento

-publicidade-

Levantamento feito recentemente pela Liga Amazonense Contra o Câncer (Lacc), apontou que quase 56% das pessoas atendidas pela ONG, não têm nenhum tipo de renda mensal e, por isso, acabam buscando o apoio da instituição. Entre janeiro e agosto deste ano, a entidade de cunho filantrópico que ajuda pacientes oncológicos de baixa renda no Estado, registrou pelo menos 55,2 mil auxílios prestados a portadores de câncer atendidos pelo SUS, beneficiando, inclusive, suas famílias.

O presidente da ONG, mastologista Manoel Jesus Pinheiro, explica que os auxílios incluem ações como a distribuição de lanches, transporte de pacientes para a realização de quimioterapia e radioterapia, transporte de equipe multidisciplinar para atendimento domiciliar de pacientes fora de possibilidade terapêutica, custeio de aluguéis sociais, entre outros.

De acordo com ele, a crise econômica que afeta o País desde 2015, impôs um grande desafio à entidade, que completa em 2016, 61 anos de atuação: a ampliação da rede de parceiros e colaboradores, com o objetivo de aumentar a receita mensal da entidade. A ideia é que, aumentando a participação da sociedade nas doações, as ações promovidas pela ONG atinjam o maior número possível de pacientes. Os agendamentos para doar podem ser feitos através dos telefones 2101-4949 e 2101-4900.

“Com nosso suporte, esses pacientes de baixa renda, em especial os que vêm do interior do Amazonas e de estados vizinhos em busca de tratamento especializado, têm maior chance de lutar contra a doença. Alguns deixam de procurar ajuda porque não têm parentes no Amazonas e, como contamos aqui com uma unidade de referência no tratamento do câncer, a FCecon (Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas), eles ficam sem opção nos seus estados”, frisou.

Médico com vasta experiência na área oncológica, Jesus Pinheiro explica que viabilizar a hospedagem de pacientes de fora de Manaus na capital amazonense, pode ajudar a garantir a continuidade e o sucesso no tratamento, já que a duração da terapia leva, geralmente, alguns meses. Entre janeiro e agosto de 2016, 96 aluguéis, no valor de R$ 300 cada, foram custeados pela Lacc para famílias de portadores de câncer na cidade. Foram R$ 27,9 mil injetados diretamente nesse tipo de auxílio social.
Considerando essa realidade, a Lacc, que já atua há 61 anos no Amazonas, construiu uma sede própria, que foi inaugurada ano passado, no bairro Dom Pedro, Zona Centro-Oeste de Manaus. O local conta com uma hospedaria exclusiva para acolher pacientes oncológicos que não têm onde ficar na capital para receber tratamento. O local está mobiliado e pronto para ser utilizado, mas para entrar em funcionamento, depende do aumento da arrecadação da entidade. “Estimamos que precisamos de, pelo menos, mais R$ 100 mil ao mês para custearmos a manutenção da hospedaria, alimentação dos pacientes e limpeza do local”, disse o presidente.

Em oito meses

Pelo menos 52,2 mil lanches foram distribuídos a pacientes e acompanhantes que aguardavam por atendimento ambulatorial na unidade hospitalar no período, entre janeiro e agosto deste ano.

“A Lacc também atua no transporte de pacientes que não têm como se deslocar ao hospital para fazer quimioterapia e radioterapia. São diversas viagens ao dia. Outro suporte importante está na área da prevenção, através da qual, funcionários e voluntários da ONG atuam, em parceria com o Departamento de Prevenção e Controle do Câncer (DPCC) da FCecon, diariamente. Eles realizam palestras em empresas, escolas e órgãos públicos, abordando temas como os fatores de risco do câncer e medidas preventivas, como a adoção de hábitos mais saudáveis”, ressaltou Pinheiro.

-publicidade-