A vereadora Rosi Matos (PT) iniciou seu discurso na sessão ordinária desta quarta-feira (11), na Câmara Municipal de Manaus (CMM) repudiando a possível extinção da Secretaria de Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres (SMPM).

A vereadora ressaltou a importância dessa secretaria na defesa dos direitos da mulher e disse lamentar o discurso contraditório do Prefeito de Manaus. Na ocasião, a parlamentar fez a leitura da seguinte declaração do Prefeito ao anunciar a reforma administrativa em agosto de 2013:

‘Irei implantar e manter essa nova secretaria, porque entendo que é preciso ter base de ação maior para a mulher de Manaus poder se defender e poder crescer em direção à verdadeira igualdade de gênero. A ideia não é antagonizar mulheres e homens, mas igualar injustiças salariais e qualquer tipo de desrespeito que a mulher venha a sofrer ainda hoje’. (Fonte: jornal A Crítica, de 8 de agosto de 2013).

“Estava otimista com a criação da secretaria de mulheres, tanto que apresentei uma emenda destinando R$50 mil do orçamento de 2015. Vale mencionar que também foram reservados R$4,8 milhões no orçamento para a instalação da secretaria. No entanto, antes mesmo da implantação sair do papel, ao que tudo indica, vai ser extinta pelo Prefeito Arthur”, disse Rosi Matos com indignação.

A vereadora continuou o discurso dizendo que a CMM não pode manter-se calada diante de um retrocesso como a extinção da secretaria de mulheres no âmbito municipal, destacando o compromisso da Prefeitura de Tefé por ter criado a secretaria de política feminina. A parlamentar petista considera a atitude do Prefeito um desprezo às políticas públicas às mulheres, se a secretaria for extinta de fato.

“É uma vergonha. Repudio essa atitude do Prefeito. O que é pior, ele desconhece que, na esfera federal, é possível efetivar parcerias e convênios para o fortalecimento das políticas de gênero e de igualdade em Manaus, através da SMPM. Portanto, juntamente com os movimentos femininos, vou acionar a Comissão de Defesa e Proteção dos Direitos da Mulher (COMDPDM) e a Procuradoria da Mulher na CMM para que se manifestem contra essa ameaça às mulheres de Manaus, as quais não precisam passar por mais essa forma de violência institucional”, alertou Rosi Matos em razão de a CMM ter esses dois órgãos de defesa da mulher.

Rosi Matos falou das lutas dos movimentos de mulheres por direitos iguais junto aos poderes, e o trabalho que vem sendo defendido para a criação das secretarias especializadas. E por este motivo, a mesma espera que o Prefeito não venha a extinguir a SMPM, pois dessa forma sua administração estaria praticando uma forma de “feminicídio”- palavra usada pela parlamentar para definir o descaso às políticas feministas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here