21/11/2017 - São Paulo, SP - Paralimpiadas Escolares 2017 - Cerimonia de Abertura.©Daniel Zappe/CPB/MPIX

Cerca de mil atletas disputarão na próxima semana as Escolares 2018, no CT Paralímpico, em São Paulo. Mais de 100 esportistas se credenciarão aos treinamentos intensivos no próximo ano

A edição de 2018 das Paralimpíadas Escolares servirão como competição de entrada para o Camping Escolar Paralímpico 2019. As Escolares acontecerão de 20 a 23 de novembro, no CT Paralímpico, em São Paulo, e têm cerca de mil atletas inscritos, de 24 Estados e do Distrito Federal. O evento é considerado o maior do mundo para pessoas com deficiência em idade escolar.

Os profissionais de imprensa interessados em cobrir as Paralimpíadas Escolares devem requisitar credenciamento pelo e-mail: [email protected]

O Camping Escolar tem como objetivo proporcionar treinamento intensivo e de alto rendimento aos jovens atletas. Serão realizadas duas fases de treinamentos, ambas no CT: a primeira será em janeiro e a segunda, em julho. Em São Paulo, os atletas passarão por testes e avaliações, treinos especializados para melhorar suas performances, além de palestras com técnicos do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e atletas. A intenção é a de que tenham o primeiro contato com a rotina de um atleta de alto rendimento.

Esta será a segunda edição do Camping, que em 2018 contemplou 37 atletas destaques do atletismo e da natação. Para o próximo ano, o CPB espera atender 104 crianças nesse projeto, de 11 modalidades: atletismo, bocha, basquete em cadeira de rodas (formato 3×3), futebol de 5 (para cegos), futebol de 7 (para paralisados cerebrais), goalball, judô, natação, tênis de mesa, tênis em cadeira de rodas e vôlei sentado. Esportistas de 12 a 17 anos, faixa etária das Escolares, poderão participar.

A distribuição das vagas será feita da seguinte forma: atletismo (20 vagas), basquete em cadeira de rodas (6), bocha (4), futebol de 5 (8), futebol de 7 (12), goalball (8), judô (9), natação (20), tênis de mesa (4), tênis em cadeira de rodas (4), vôlei (8).

Diversos talentos do paradesporto brasileiro já passaram pelas Escolares, como os velocistas Alan Fonteles, ouro em Londres 2012, Verônica Hipólito, prata no Rio 2016, e Petrúcio Ferreira, recordista mundial nos 100m (classe T47); o nadador Talisson Glock, prata no Rio 2016; o jogador de goalball Leomon Moreno, prata no Jogos de Londres e bronze no Rio 2016; a mesa-tenista Bruna Alexandre, bronze no Rio 2016, entre outros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here