Take a fresh look at your lifestyle.

Parintins inicia campanha de vacinação contra HPV nas escolas

-publicidade-

Na manhã desta terça-feira, 10, uma equipe do Programa Nacional de Imunização (PNI) da Prefeitura de Parintins iniciou a campanha de vacinação contra vírus causador do câncer no colo de útero, o HPV, nas escolas Valdemar Pedrosa, Suzana de Jesus Azêdo e Gentil Belém. Durante o mês de março, as equipes da Saúde da Família irão realizar a vacina nas unidades de ensino e a imunização é disponibilizada às meninas que nasceram nos anos de 2004, 2005 e 2006, as de 9 a 11 anos.

Na Escola Valdemar Pedrosa, ocorreu abertura com vacinação simbólica e palestra ministrada por alunas finalistas do curso de medicina da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) de Manaus e enfermeira Itaiana Santos sobre a importância da imunização. As palestrantes também esclareceram dúvidas sobre reações da substância e sobre as formas de contaminação do vírus aos pais que estavam presentes.

A gerente do Programa Nacional de Imunização, enfermeira Itaiana Santos, explica que para ser considerada imunizada, a menina deve receber as três doses da vacina. “As meninas que por ventura faltarem no dia que nossas equipes estiverem passando nas escolas para fazer a vacinação e as que não receberam a segunda dose ano passado, deverão procurar os centros de saúde mais próximo de sua residência que a vacina estará disponível”, disse a enfermeira.

Itaiana ainda esclarece que existem poucos relatos de reações nas meninas que recebem a substância e que os pais devem ficar despreocupados. “A única contra indicação da vacina que Ministério da Saúde reconhece é se a adolescente estiver grávida. Nesse caso não se vacina. Os pais podem ficar tranqüilos que a vacina é bem aceita e eficaz nessa faixa etária” afirmou.

A aluna de medicina, Renata Monteiro, destaca que a imunização contra o HPV é fundamental para prevenir pelo menos quatro tipos do vírus, uma vez que existem mais de 200 tipos. Ela ainda explica que é fácil infectar-se com o HPV e a vacina não é o único tipo de prevenção. “Ela não é a única forma de se prevenir, tem que fazer uso do preservativo e os pais são as pessoas ideais para dialogar com suas filhas sobre isso. Essa informação tem que começar dentro de casa, para que a menina não receba informações de pessoas mal intencionadas” ressaltou.

A mãe de uma das alunas, Adagilza Gomes, ressalta que permitir a vacinação na filha é de extrema importância para preveni-la principalmente do câncer no colo de útero. “Se eu fosse hoje contra a vacinação, eu estaria permitindo que minha filha fosse vulnerável ao vírus do HPV e talvez adquirisse câncer futuramente” enfatizou.

-publicidade-