Adriano Machado/Reuters

Nesta terça-feira (8), o ministro da Economia Paulo Guedes informou que o governo incluirá a previsão de um regime de capitalização na proposta da reforma da Previdência, que deve ser enviada ao Congresso Nacional em fevereiro.

A capitalização citada pelo ministro é uma espécie de poupança que o próprio trabalhador faz para assegurar a aposentadoria no futuro. Atualmente, o regime utilizado é o de repartição, na qual o trabalhador ativo paga os benefícios de quem está aposentado.

Para Paulo Guedes, o atual sistema está condenado e a nova reforma do governo é profunda e irá democratizar o sistema previdenciário. Além de estimular o crescimento e aumento da produtividade.

“Estamos tentando justamente salvar as futuras gerações. Salvar é um movimento duplo. Primeiro você tem que salvar essa Previdência que está aí, mas ao mesmo tempo, para as futuras gerações, você quer criar um novo regime trabalhista e previdenciário”.

Paulo Guedes deu essa declaração após se reunir com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, que afirmou que levará ao presidente Jair Bolsonaro o texto de uma Medida Provisória que coibirá fraudes na previdência, já nesta quarta (9).

De acordo com Paulo Guedes, esse texto contra fraudes e privilégios vai gerar uma economia de 17 a 20 bilhões de reais por ano.

Reportagem, Tainá Ferreira

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here