Pedra fundamental do novo Parque de Exposição Agropecuária do Amazonas é lançada

O projeto arquitetônico do novo parque de exposição agropecuário e Centro de Treinamento do Sistema Sepror foi apresentado, na manhã desta sexta-feira (28/09), no antigo Centro de Treinamento da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Amazonas (Emater), no quilometro 29 da rodovia AM-10 (Manaus-Itacoatiara). Durante o evento, foi fixada a pedra fundamental que marca o início da construção do parque. O investimento do Governo do Amazonas é de R$ 10 milhões.

O novo espaço vai contar com áreas para exposição de animais, estacionamentos para 700 veículos, tanques para peixes, praça de alimentação, dormitórios, espaço para entretenimento e treinamento. De acordo com o secretário da Sepror, José Aparecido dos Santos, a ideia é que o novo espaço sirva não só para as exposições agropecuárias, mas sirva como espaço para beneficiar os produtores rurais o ano todo. “O espaço vai funcionar o ano todo com atividades dos diversos órgãos que fazem parte do sistema Sepror. Aqui o produtor vai expor seu produto, vai fechar seus negócios e vai ter oportunidade de receber treinamentos e trocar experiências”, disse.

A área possui 22 hectares, mas apenas dez devem ser ocupados pelo novo parque, em um espaço de 100 mil metros quadrados. As áreas verde e de nascente do terreno serão preservadas. Segundo a coordenadora e arquiteta responsável pelo projeto, Ana Kathia Santos, a ideia é fazer com o que espaço vire ponto de visitação o ano inteiro. “Nosso objetivo é tornar o parque referência para outras atividades, vamos manter a área verde e a nascente, além de aproveitarmos o declive do terreno para instalar pontos de observação. O objetivo é tornar o espaço agradável à famílias e visitantes”, explicou.

Agronegócio – Produtores rurais e agropecuaristas que estiveram no local aprovaram o projeto do novo parque de exposições. Para eles, a estrutura vai dar oportunidade para mostrarem seus produtores e fecharem bons negócios, além de servir de centro de treinamento técnico. “Estamos muito felizes com o projeto. O governo tem acenado positivamente com boas políticas para o setor”, disse o produtor de laticínios Honório Amaral.

Ainda segundo José Aparecido, espaços importantes devem ser implementados no local como tanques para piscicultores e, posteriormente, uma fazenda experimental para que os produtores possam trocar experiências técnicas. “O agronegócio é uma das matrizes econômicas do nosso Estado, por isso são necessárias ações que possam desenvolve-lo. O produtor, agricultor, agropecuário precisavam ter um espaço para trocar ideias e propostas”, disse.

FOTO: ROBERTO CARLOS/SECOM