Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

Penso, logo sou

Francisco Sogari*

O Dia Mundial do Meio Ambiente (05/06) foi marcado por inúmeros acontecimentos e alertas em âmbito nacional e global, entre eles a Operação Akuanduba.

Os mandados de busca e apreensão em locais ligados ao ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, no último dia 19/05 no DF, São Paulo e no Pará apura crimes contra a administração pública praticados por agentes ligados ao governo e empresários do ramo madeireiro.

Akuanduba uma divindade da mitologia dos índios Araras, que habitam o estado do Pará. Segundo a lenda, se alguém cometesse algum excesso, contrariando as normas, a divindade fazia soar uma pequena flauta, restabelecendo a ordem.

A aprovação do PL 490 resultará no fim dos direitos territoriais indígenas, fundamentais para vida e cultura dos 305 povos originários do Brasil. É preciso a máxima mobilização para barrar esse retrocesso.

Um relatório recentemente publicado do programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), “Fazendo as pazes com a Natureza”, apresenta a “gravidade das triplas emergências ambientais da Terra: clima, perda de biodiversidade e poluição”. Este tripé de crises planetárias é uma ameaça e um risco inevitável para as gerações atuais e futuras.

A Covid-19, afeta diretamente todo o planeta, de modo especial os humanos. É um dos alertas mais sérios que a terra envia. O modo de vida é destrutivo. Como nos ensina o provérbio popular: “Deus perdoa sempre, o ser humano às vezes, mas a natureza, nunca”.

*Francisco Sogari é Mestre em Comunicação e Especialista em Terceiro Setor

Foto: Divulgação

-publicidade-