Pesquisa ADVB/FIPE aponta queda na confiança na economia brasileira e aumento do pessimismo no 2º trimestre

53,9% dos profissionais de vendas e marketing no Brasil acreditam que as condições da economia brasileira, do setor econômico e das empresas, pioraram, em comparação ao estudo anterior, referente ao 1º trimestre

A Sondagem de Confiança e Expectativa dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil, realizada em parceria pela ADVB (Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil) com apoio técnico da FIPE (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), referente ao segundo trimestre de 2018, aponta que houve queda na confiança na economia brasileira e aumento do pessimismo dos profissionais de vendas e marketing em comparação ao primeiro trimestre.

Para 53,9% dos entrevistados, as condições da economia brasileira pioraram ou pioraram muito no segundo trimestre – na pesquisa anterior esse percentual era de 18,7%. Para 29,7% as condições não se alteraram e 16,4% afirmaram que o cenário melhorou /melhorou muito. No primeiro trimestre, 27,1% disseram que não se alteraram e para 54,2% melhoraram ou melhoram muito.

Em relação ao futuro dos negócios, os profissionais ainda se mostram otimistas, embora os percentuais tenham caído significativamente entre um período e outro: no primeiro trimestre, 61,9% estavam com esperança de melhora no setor de atuação, agora apenas 36,9% estão otimistas.

O estudo tem como objetivos avaliar a opinião de ocupantes de cargos de vendas e marketing, bem como de outras áreas estratégicas de empresas e outras organizações, com respeito à situação atual e expectativa de evolução da economia, setores e empresas; avaliar a expectativa dos agentes em relação ao comportamento das vendas e da verba de marketing disponibilizada pelas suas respectivas empresas; Identificar áreas prioritárias para pautar as próximas atividades da entidade.

Segundo a sondagem, 47,5% dos profissionais estão otimistas em relação à empresa em que atuam, contra 68,1% na última pesquisa. Quanto ao setor de atuação da empresa, as condições pioraram/pioraram muito para 37,6% dos profissionais, contra 23,5% da pesquisa anterior. E sobre o andamento dos negócios, 36,4% dos participantes também apontaram piora.

A respeito das expectativas em relação ao futuro da economia do país, 38,8% se mostraram pessimistas ou muito pessimistas, 32,5% se mostraram neutros e 28,7% estavam otimistas ou muito otimistas. No estudo anterior, 16,9% afirmaram pessimismo, 25,6% estavam neutros e 57,6% se mostraram otimistas ou muito otimistas.

Ainda, a sondagem revelou que 71,6% dos profissionais esperam um incremento no valor das vendas nos 12 meses seguintes à pesquisa, e 35,7% têm perspectiva de aumento na verba destinada ao marketing.

Os participantes ainda identificaram áreas para pautar as próximas atividades da ADVB, destacando as ações de relacionamento e networking entre profissionais e empresas do mercado (61,7%), seguida por ações de compartilhamento (27,7%).

A pesquisa foi realizada entre 24/07/2018 e 13/08/2018, por meio de questionário eletrônico, e coletou um total de 232 respostas. A maioria dos entrevistados que responderam à pesquisa são do sexo masculino (81,6%), com 45 anos ou mais (79,2%); 82,4% atuam em empresas sediadas em São Paulo e em seguida, destacaram-se respondentes de empresas do Rio de Janeiro (3,6%), Rio Grande do Sul (3,6%) e Paraná (3%).

Além disso, 40,3% ocupam cargos de presidência, direção e gerência; 78,2% ocupam cargos em empresas de comércio e serviços e 20,6% em segmentos industriais. Apenas 1,2% dos respondentes se enquadram em empresas do agronegócio.

Boa parte dos respondentes (37,5%) se enquadrou em empresas de menor porte, contando com até 9 funcionários; 34,5% contavam com um quadro entre 10 e 99 funcionários; 28,1% apresentavam 100 ou mais funcionários.

Sobre a ADVB – A ADVB® está completando 62 anos e é uma referência para a gestão empresarial no país, ao oferecer opções ricas e diversas para o relacionamento e aperfeiçoamento profissional de quem atua nas áreas de vendas e marketing e na direção das empresas. Cursos, palestras, fóruns, debates e eventos de premiação reúnem personalidades públicas e do mundo corporativo, propiciando ferramentas que auxiliam no desenvolvimento de estratégias de gestão das organizações.