Segundo um projeto de lei que está tramitando no Senado Federal, os alimentos industrializados poderão sofrer restrições em sua composição, com o intuito de melhorar a saúde dos consumidores. A proposta, que aguarda o recebimento de emendas na Comissão de Assuntos Sociais, fixa limites máximos de gorduras, açúcares e sódio contidos nesses produtos.

De acordo com o texto, achocolatados, biscoitos recheados, bebidas açucaradas, misturas para bolo e produtos lácteos, por exemplo, sofreriam mudanças durante o processo de produção para diminuir a quantidade de açúcares que armazenam.

O Brasil consome 50% a mais de açúcar do que o recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o que colabora e muito para o aumento de pessoas com diabetes, hipertensão, obesidade e outras doenças causadas pela má alimentação.

Em novembro do ano passado, o Ministério da Saúde assinou um acordo com a indústria alimentícia brasileira para reduzir, até 2022, o consumo de açúcar no país, que hoje em dia chega a 144 mil toneladas. Esse acordo segue o mesmo parâmetro que foi usado para a redução do sódio, assinado em 2017.

Reportagem, Cintia Moreira
Foto: Agência Brasil