Na primeira etapa, elas serão adotadas em veículos zero quilômetro, na primeira transferência de propriedade, primeira mudança de município ou quando solicitado pelo proprietário

A partir do dia 10 de dezembro, os novos veículos emplacados no Amazonas já farão uso do novo modelo de placa no padrão estabelecido pelo Mercado Comum do Sul (Mercosul). O novo modelo faz parte de um acordo internacional que tem como objetivo unificar a identificação dos automóveis que circulam no Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai, Chile e Bolívia, países que fazem parte do bloco econômico sul-americano.

De acordo com o diretor-presidente do Detran-AM, Vinicius Diniz, no primeiro momento, a obrigatoriedade da substituição da nova placa se aplicará apenas aos novos veículos emplacados, na primeira transferência de propriedade, na primeira mudança de município ou por iniciativa do proprietário interessado em adotar o novo modelo.

Vinicius Diniz afirma que o valor da placa não sofrerá alteração. O valor do par de placas, traseira e dianteira, continuará R$ 221,69. O preço da unidade, confeccionada em separado, continua R$ 155,19.

Características – Vinicius Diniz explica que a nova placa traz impresso tarja azul, a bandeira do país de origem e possui inúmeros itens de segurança e prevenção à clonagem e falsificação. Ao contrario do modelo atual, que possui três letras e quatro números, a placa padrão Mercosul tem quatro letras e três números. O último número continua sendo o indicador do mês de pagamento do Imposto Sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).

Além dos itens de segurança, o novo modelo proporciona a mudança de todo um processo de produção, promovendo um maior controle de todo o mercado e não permitindo a ação de atravessadores e fraudadores. A implantação, determinada pelo Denatran, também visa dar aos departamentos de trânsito de todo o Brasil um maior controle das rotinas de produção e personalização das placas veiculares, utilizando novos meios tecnológicos.

Adoção – O Brasil é o terceiro país do Mercosul a adotar a placa. Os dois primeiros foram Uruguai, em 2015, e Argentina em 2016. O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) estabeleceu até o dia 10 de dezembro de 2018, como data-limite para implantação do novo modelo de placa no Estado do Amazonas.

“A implantação do novo modelo da placa era necessária devido à proximidade do fim da combinação alfanumérica das placas antigas. Se a placa mantivesse a atual combinação (três letras e quatro números), nos próximos cinco anos, não existiriam mais novas sequências para contemplar toda a frota do país”, finaliza Diniz.

O que muda no visual da placa?

1- Mais letras e menos números

Em vez de 3 letras e 4 números, como é hoje, as novas placas terão 4 letras e 3 números, e poderão estar embaralhados, assim como na Europa;

2- Cores nas letras e números

Ao contrário do que acontece atualmente, em que a cor de fundo da placa muda conforme a categoria do veículo (aluguel, particular e oficial), nas novas placas a cor do fundo será sempre branca. As cores estarão nas letras e nos números.

Para veículos de passeio, cor preta, para veículos comerciais, vermelha, carros oficiais, azul, em teste, verde, diplomáticos, dourado, e de colecionadores, prateado – ou seja, é o fim da famosa placa preta.

3- Tamanho

A placa terá as mesmas medidas das já utilizadas no Brasil (40 cm de comprimento por 13 cm de largura);

4- Contra falsificações

Marcas d’água com o nome do país e do Mercosul estarão grafadas na diagonal ao longo das placas, com o objetivo de dificultar falsificações. No Brasil, a placa terá uma tira holográfica do lado esquerdo e um código bidimensional (QR-Code) que conterá a identificação do fabricante, a data de fabricação, número serial da placa, bem como dados do veículo e do proprietário. A tira é uma maneira de evitar falsificação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here