Placas de área verde instaladas no conjunto Tiradentes reforçam proteção

A área verde do conjunto Tiradentes, na zona Leste, recebeu na manhã desta quinta-feira, 8/11, quatro placas de identificação da Prefeitura de Manaus, com a finalidade reforçar a proteção ao espaço, na tentativa de impedir ocupações irregulares e o descarte de resíduos que cria focos de lixeiras viciadas no local. A instalação das placas atendeu a uma demanda dos moradores e faz parte da política de gestão de áreas protegidas, do prefeito Arthur Virgílio Neto, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas).

De janeiro a outubro deste ano, o Departamento de Gestão Territorial e Ambiental do órgão instalou 96 placas, sendo 52 de áreas verdes e 44 de preservação permanente em toda a cidade.

As placas foram colocadas em dois trechos de área verde pertencentes ao conjunto, um na entrada e outro às margens do Igarapé do Mindu, que corta o Tiradentes. O secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Antonio Nelson de Oliveira Júnior, afirmou que as placas identificam o local e reforçam a necessidade de conservação de áreas protegidas em conjuntos habitacionais e margens de igarapés da cidade. Esse é um trabalho contínuo que está sendo desenvolvido desde 2013 sempre em parceria com as comunidades.

Entre os bairros já contemplados com placas estão Novo Aleixo, Gilberto Mestrinho, Parque 10 de Novembro, Redenção, Flores, São José, Aleixo, Chapada, Cidade Nova, Coroado, Bairro da Paz, Distrito Industrial 2, Jorge Teixeira, Lago Azul, Nova Cidade, Santa Etelvina, São Geraldo e Tarumã.

O diretor de Gestão Territorial e Ambiental da Semmas, Cleber Damasceno, afirmou que a colocação de placas de sinalização nessas áreas tem o objetivo de informar à população que as mesmas são protegidas por lei, desestimulando a apropriação indevida. Segundo ele, há placas de sinalização de áreas protegidas em praticamente todas as zonas da cidade, resultado do trabalho de mapeamento e identificação, além do atendimento às demandas da população.

Crédito: Arlesson Sicsu / Semmas