Plano Verão: Decreto permite atualização de valores de hora máquina do Promecanização

O Governo do Estado publicou na terça-feira (13/07), o Decreto nº 44.198, que dá incentivo à utilização de máquinas e equipamentos agrícolas para a mecanização de áreas produtivas no Amazonas e garante a possibilidade de atualização dos valores praticados no Promecanização, dentro do Plano Verão.

Após análise dos preços que vinham sendo praticados desde 2015 relativos à mecanização agrícola, o governador Wilson Lima determinou que fossem atendidas as reivindicações da Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror), apontando a necessidade de se atualizar os preços com base nos atuais custos de mão de obra e combustível.

O decreto ampara a atualização de valores que a Sepror passa a praticar na mecanização de áreas agrícolas e pecuárias. Assim, o financiamento por hora/máquina de trator de esteira e de pneu com implemento, será o valor de mercado, apurado pela secretaria, segundo a publicação. Os estudos levaram a definição dos valores máximos a serem pagos aos prestadores de serviço, fixados em R$ 450 por hora/máquina para trator de esteira, e R$ 200 por hora/máquina para trator de pneu.

Uma vez definidos os valores de hora/máquina no Promecanização, esta parte do Plano Verão passa a plena execução. Nesse sentido, a Sepror atua viabilizando o repasse de recursos; o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), por meio de seus escritórios locais, promovendo a seleção dos produtores rurais a serem beneficiados; e a Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam) realizando a análise de todo o processo, seguida do pagamento pelos trabalhos contratados; conforme informou o secretário executivo adjunto de Política Agrícola, Pecuária e Florestal da Sepror, Airton Schneider.

“A atualização de preços autorizada pelo governador Wilson Lima é antigo desejo de todos os setores ligados à mecanização agrícola no estado, para que haja uma potencialização de serviços de melhor qualidade por parte dos prestadores, sob a fiscalização da Sepror e aplicados pelo Idam e Afeam”, disse Schneider.

FOTO: Arquivo