A Polícia Civil do Amazonas, por meio da equipe de investigação da Delegacia Especializada em Combate ao Furto de Energia, Água, Gás e Serviços de Telecomunicações (DECFS), sob o comando do delegado, titular da unidade policial, Thomaz Vasconcelos Dias, prendeu, em flagrante, na manhã de quarta-feira (23/05), por volta das 10h, o empresário Juraci Lopes da Silva, 46, por furto de água.

De acordo com a autoridade policial, a prática ilícita foi identificada em um posto de lavagem de veículos de propriedade do infrator, na rua Carlos Lecor, conjunto Castelo Branco, bairro Parque Dez de Novembro, zona centro-sul da capital. As investigações em torno do caso tiveram início após o recebimento de denúncia, informando uma ligação clandestina no fornecimento de água em um lava a jato naquela região.

“Nossa equipe de investigação, acompanhada de funcionários da concessionária de água na capital Manaus Ambiental e de peritos do Instituto de Criminalística (IC), foi até o endereço indicado e localizou o posto de lavagem. Ao ser abordado, Juraci argumentou que o estabelecimento tinha poço artesiano próprio”, informou o delegado.

Thomaz Vasconcelos afirmou, ainda, que o local do suposto poço artesiano estava coberto por cimento, impossibilitando a verificação da informação dada. No lugar as equipes identificaram duas ligações para o abastecimento de água para uma caixa d’água de cinco mil litros, sendo uma vinda da parte interna do imóvel e a outra chamou a atenção dos servidores, porque advinha de uma ligação independente, originária da parte externa do local.

“Percorrido o percurso da ligação, perto ao muro do estabelecimento, foi verificado o uso uma tubulação azul, conhecida como PAD, de uso restrito da Manaus Ambiental e de venda não autorizada, para ter condições de identificar as ligações feitas pela concessionária”, argumentou Vasconcelos.

Providências – Fiscais se dirigiram para parte externa do imóvel e verificaram que no local por onde estava passando a ligação irregular direta da rede de abastecimento da concessionária havia um concreto de aproximadamente 25 centímetros de espessura, onde foram utilizadas ferramentas para conseguir quebrar o concreto e ter acesso à ligação irregular de água.

“Após o rompimento do concreto e termos acesso ao fornecimento direto de água, constatamos que, de fato, tratava-se de furto de água, pois a ligação irregular era a responsável pelo abastecimento da caixa d’água usada no estabelecimento”, explicou o titular da DECFS.

Fiança – Juraci Lopes foi conduzido ao prédio da especializada, onde foi autuado em flagrante por furto de água. A autoridade policial arbitrou fiança no valor de R$ 1 mil ao infrator que, após pagar a quantia estipulada, foi liberado para responder pelo crime em liberdade.

FOTO: DIVULGAÇÃO/PC-AM

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here