Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

-publicidade-

Polícia Civil prende homens por tráfico de animais

Adeilton Assis da Silva, Ailton Assis da Silva, José dos Santos Reis
Adeilton Assis da Silva, Ailton Assis da Silva, José dos Santos Reis

A Polícia Civil do Amazonas por meio da equipe de investigação da 77ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), do município de Novo Airão, a 115 Km em linha reta de Manaus, prendeu no início da manhã desta terça-feira (27), três homens envolvidos com tráfico de animais no município. Adeilton Assis da Silva, 22, Ailton Assis da Silva, 25, e José dos Santos Reis, 28, foram presos quando praticavam caça ilegal de animais nas margens do Rio Jaú, naquela região.

A prisão aconteceu por volta das 5h, enquanto os agentes de fiscalização do Instituto Cândido Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), faziam um patrulhamento de rotina nas redondezas da comunidade Airão Velho, e abordaram a embarcação em que o trio estava.

Em posse dos homens, foram encontrados aproximadamente 100 quelônios de diversas espécies capturados de forma ilegal. Os agentes ambientais resgataram ao todo, 48 tracajás, 23 “zé pregos”, 11 “cabeçudos”, 18 irapucas e uma tartaruga. Além dos quelônios, duas redes de pesca com consideráveis quantidades de pirarucus também foram recuperadas pela fiscalização.

O delegado adjunto responsável pela autuação, Guilherme Torres, explicou que esse tipo de delito é comumente praticado no interior por conta do dinheiro fácil que a riqueza na fauna desses lugares acaba proporcionando. “O ICMBio tem sido um grande parceiro da Polícia Civil no interior do Estado através dessas ações de fiscalizações que tem como maior beneficiado o nosso meio ambiente. Esse tipo de delito infelizmente ainda é considerado de menor potencial ofensivo e por isso manter presos os autores da caça ilegal nem sempre é possível”, informou.

Após realizada a apreensão dos animais pelos agentes do ICMBIO, os homens foram detidos em flagrante e conduzidos à delegacia de polícia de Novo Airão, onde foram ouvidos e liberados após assinatura de um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), para responderem ao crime previsto no Artigo 29 da Lei 9.605/98 que trata de agressões contra o meio ambiente. A autoridade policial também arbitrou multa no valor de R$ 500 por cada animal apreendido.

-publicidade-