Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

-publicidade-

Policiais da base Arpão usam lanchas blindadas para combater o crime

Um investimento de R$ 3,4 milhões da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) no combate à criminalidade e ao narcotráfico nos rios do Amazonas, duas lanchas blindadas são sinônimo de avanço para os operadores policiais que atuam diretamente em ações de alto risco no interior do estado. Batizadas de Amarun, as embarcações são empregadas na base fluvial Arpão, no rio Solimões, próximo ao município de Coari (a 363 quilômetros de Manaus), e são essenciais no transporte rápido e seguro para realizar abordagens e perseguições a embarcações suspeitas.

Com uma ergonomia de seis horas e equipada com tecnologia GPS, duas câmeras de alta precisão e termal para ser utilizadas no período noturno, um monitor que informa as questões mecânicas e técnicas da embarcação, as lanchas fornecem agilidade e proteção aos agentes de segurança.

De acordo com o comandante da nona edição, major Wallason Almeida, as lanchas blindadas são empregadas quando uma embarcação tenta fugir da fiscalização da base Arpão, mas também realiza operações pontuais no rio Solimões e comunidades, em trajetos possivelmente usados por traficantes e piratas dos rios, que tentam burlar as operações. Os policiais militares da Companhia de Operações Especiais (COE) são responsáveis por realizar as ações de alto risco.

Segundo o sargento Jefferson Nunes, da 2ª Companhia Fluvial do Batalhão Ambiental, o computador de bordo com tecnologia de ponta faz com que a Amarun forneça conforto na hora da pilotagem em alta velocidade.

“Essa é uma lancha de ação rápida de intervenção modelo Aruanã, ela é blindada e equipada com dois motores de 300HP, tem dois tanques de combustível com capacidade para 700 litros e, em velocidade de cruzeiro, tem autonomia de seis horas. Ela tem uma estabilidade extraordinária, isso me surpreendeu bastante positivamente. Estamos bem em termos de policiamento fluvial, ela é ótima para abordagens e para operar na calha do Solimões, que é uma área considerada perigosa. Essa lancha veio para nos trazer mais segurança e, com isso, a gente consegue trabalhar melhor em prol da sociedade”, explicou.

Em dois anos, o Governo do Estado investiu R$ 13 milhões em policiamento fluvial e equipamentos para auxiliar o sistema de segurança no combate aos crimes de fronteira.

FOTO: Carlos Soares/SSP-AM

-publicidade-