Raimundo Corrêa Sales
Raimundo Corrêa Sales

A Polícia Civil do Amazonas, por meio da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd), prendeu na tarde da última quarta-feira, 11, por volta das 15h30, Raimundo Corrêa Sales, 37, conhecido como “Careca”. Ele é apontado por envolvimento em estelionatos nos quais se passava por funcionário da Secretaria de Estado da Fazenda do Estado do Amazonas (Sefaz/AM) e da Petrobras.

A ação ocorreu em cumprimento de dois mandados de prisão, em uma feira localizada no bairro São José 2, zona Leste de Manaus. O primeiro mandado foi expedido no dia 23 de julho de 2013, pelo juiz da 8ª Vara Criminal, Carlos Zamith de Oliveira Júnior. Já o segundo, foi expedido no dia 25 de agosto de 2014, pela juíza da 7ª Vara Criminal, Karen Aguiar Fernandes, ambos pelo crime de estelionato.

De acordo com o titular da Derfd, Adriano Felix, o homem se passava por funcionário de empresas e órgãos públicos para enganar as vítimas, utilizando inclusive uniformes. “No caso da Petrobrás, ele fazia um cadastro como cliente para ter acesso à empresa. A partir daí, Raimundo entrava em contato com outros clientes e oferecia combustível com preço abaixo do mercado”, relatou o delegado.

No caso da Sefaz, ele ficava no local e se oferecia para resolver pendências junto à secretaria. “Quando a vítima dava pra ele o dinheiro, Raimundo pedia que ela esperasse o retorno dele, porém o mesmo não aparecia mais”, acrescentou Adriano Félix.

O homem já responde a 11 inquéritos pelo mesmo crime. Um dos últimos golpes, praticados por ele, rendeu um prejuízo de R$150 mil para a vítima, que é um empresário do ramo de transporte na capital.

Durante as investigações, os policiais conseguiram identificar oito vítimas dele. Os golpes estão avaliados em mais de R$1 milhão. Nas ações criminosas, ele também utilizava documentos falsos.

No momento da prisão, Raimundo estava no carro dele, um Grand Siena, de cor azul e placas NOS 6162. O automóvel foi apreendido. Na delegacia, o homem foi indiciado pelo crime de estelionato e uso de documento falso (Artigos 171 e 304, respectivamente, do Código Penal Brasileiro). Ao término dos procedimentos legais, ele será encaminhado à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde ficará à disposição da Justiça.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here