Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

-publicidade-

Policiais da DIP de Eirunepé prendem irmãos de etnia indígena Kulina denunciados por falsidade ideológica

Joãozinho e Nodia
Joãozinho e Nodia

A Polícia Civil do Amazonas, por meio dos investigadores da Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Eirunepé, município distante 1.160 mil quilômetros em linha reta de Manaus, coordenados pelo delegado titular, Jony Cledson Barbosa Leão, prendeu na tarde de terça-feira, 24, por volta das 16h30, os irmãos Nodia Culina e Joãozinho Culina, ambos de 47 anos, índios da etnia Kulina de Ipixuna.

Nodia foi preso na Fundação Nacional do Índio (Funai), localizada na Rua Otaviano Melo, no bairro Nossa Senhora de Fátima, naquele município, no momento em que tentava emitir um atestado de vida e residência para posteriormente dar entrada em benefício oferecido pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), porém, o mesmo portava documentação falsa, em nome de Quizori Kulina, de 61 anos.

O diretor da Funai, Arquimino do Amaral Silva, ao desconfiar da veracidade dos documentos entrou em contato com os policiais civis. Na sede da fundação os investigadores constataram o crime e deram voz de prisão ao índio. Na delegacia, Nodia declarou durante depoimento que o irmão dele, identificado como Joãozinho, teria planejado o golpe.

Diante das informações, os investigadores foram até um barco que estava atracado no Porto do Aterro, nas proximidades do Mercado Municipal de Eirunepé, no bairro Nossa Senhora das Graças, onde prenderam Joãozinho.

De acordo com o delegado Jony Leão, a dupla foi autuada por falsidade ideológica (Artigo 299 do Código Penal). Ao término dos procedimentos legais, os irmãos permanecerão presos na unidade policial, à disposição da Justiça. As investigações irão continuar para saber se eles têm participação em fraudes ocorridas naquele município, segundo a autoridade policial.

-publicidade-