A Polícia Civil do Amazonas e a Corregedoria Geral do Sistema de Segurança Pública efetuaram nesta quarta-feira (28/11) as prisões preventivas de mais dois policiais militares suspeitos de envolvimento em um esquema de extorsão de um dono de embarcação no centro de Manaus, desvendado no dia 30 de outubro. As investigações estão sendo conduzidas pelo Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO).

Nesta quarta-feira, foram presos o sargento Delmar da Silva Nogueira e o cabo Bruno Cezzane Pereira, suspeitos de integrar o esquema que fez pelo menos duas vítimas. Os dois foram recolhidos ao Núcleo de Implantação do Presídio Militar da PM, que funciona no Monte das Oliveiras, zona norte. A ação envolveu o DRCO, a Corregedoria e a Diretoria de Justiça e Disciplina (DJD).

Quando o esquema foi desvendado, em outubro, as investigações policiais culminaram na prisão, em flagrante, do primeiro-tenente da Polícia Militar do Amazonas (PMAM) Smayil Souza dos Santos, 31. Na mesma ocasião, Carlos Pedro da Silva Vieira, funcionário do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas, teve a prisão decretada, mas ele ainda está foragido.

“Os dois presos hoje estavam participando da extorsão que teve como vítima o proprietário de uma lancha a jato. As investigações continuam”, ressaltou o delegado Mário Paulo, diretor adjunto do DRCO.

De acordo com o Corregedor Geral do sistema de segurança, coronel Hildeberto Santos, serão abertos novos processos disciplinares para apurar a conduta de Delmar e Bruno. “As investigações continuam e o caso será encaminhado à Justiça. A Corregedoria Geral abrirá Processos Administrativos Disciplinares (PADs) para apurar conduta de Delmar e Cezzane. O oficial do Smayil Souza está no Conselho de Justificação, um conselho administrativo que neste momento está avaliando a permanência dele nos quadros da polícia militar”, informou o corregedor.

O caso – As equipes do DRCO passaram a monitorar os envolvidos no esquema após uma das vítimas, que estava comprando combustível e abastecendo uma embarcação em uma “Charuto”, ter sido abordada pelos dois elementos. Na ocasião, os infratores apreenderam ilegalmente a documentação dos barcos e conduziram os responsáveis para as proximidades do 24º Distrito Integrado de Polícia (DIP), no bairro Centro, zona sul, dando início à prática criminosa.

Em depoimento, as vítimas disseram que foram liberadas pelos policiais após se comprometerem em pagar a quantia de R$ 40 mil. Na quarta-feira (31/10), pela manhã, as vítimas desconfiaram da conduta dos infratores e procuraram a equipe do DRCO. O policial Smayil foi preso em flagrante e o comparsa dele, o motorista do TJAM, conseguiu fugir.

Ao longo dos trabalhos, as equipes do DRCO apreenderam no carro particular de Smayil armas de fogo e uma quantidade significativa de entorpecentes, que a polícia acredita que serviriam de álibi para incriminar os proprietários das embarcações, caso não colaborassem com a extorsão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here