Take a fresh look at your lifestyle.

Pós-quarentena – Amazonas registra em setembro o maior número de abertura de empresas

-publicidade-

A Junta Comercial do Estado do Amazonas (Jucea) registrou, no mês de setembro de 2020, 706 novas constituições de empresas no estado. O número é o maior registrado pela autarquia, após o retorno das atividades econômicas que estavam suspensas devido à pandemia do Covid-19, no mês de junho. Até então, o mês de julho deste ano detinha o maior índice de abertura de novas empresas, com um total 701 novas constituições.

Ainda conforme o relatório do Sistema Mercantil de Registro (SRM), vinculado ao Ministério da Economia, o Amazonas teve a extinção de 268 empresas no mês de setembro. Número superior ao registrado no mês anterior, que obteve 217 extinções. No entanto, a somatória de novas empresas no mês de setembro deste ano, além de ser a maior do segundo semestre, também supera o mesmo período em 2019, que inscreveu 483 novas empresas.

De acordo com a presidente da Jucea, Maria de Jesus Lins, apesar dos analistas econômicos não esperarem uma recuperação rápida na economia brasileira, é preciso ser otimista no cenário regional.

“Acreditamos que o governo estadual continuará a desenvolver medidas para que a percepção positiva dos negócios no nosso estado se mantenha. Temos alcançado dados positivos para o estado, como apontou o Boletim do Mapa de Empresas do 2º Quadrimestre, divulgado no último dia 17 de agosto, pela Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, que coloca o Amazonas em segundo lugar entre os estados brasileiros que apresentaram os maiores crescimentos percentuais na abertura de negócios, no período de maio a agosto, em comparação ao primeiro quadrimestre de 2020 – com um aumento de 16,6%”, destacou.

Queda nas extinções – A Junta Comercial do Amazonas registrou ainda, em agosto de 2020, 217 extinções de empresas no estado, uma queda de 42%, em comparação com o mês de julho, quando foram registradas 374 extinções.

Arrecadação – Outro ponto de equilíbrio demonstrado pelo Sistema de Registro Mercantil é quanto à arrecadação da autarquia, em comparação aos meses de julho, agosto e setembro deste ano, uma vez que no mês de agosto foi recolhido o valor de R$ 1.078.396,45 em taxas, um pouco abaixo do arrecadado no mês de julho, que foi de R$ 1.145.878,49. Já no mês de setembro foram arrecadados R$ 1.016.466,36.

IMAGEM: Gráfico de dados comparativos do segundo semestre de 2020

-publicidade-