Prefeitura de Manaus capacita 394 cuidadores comunitários em 2018

A Prefeitura de Manaus capacitou, este ano, um total de 394 agentes públicos com turmas no curso “Cuidador Comunitário”, nas zonas Sul, Oeste, Centro-Sul e Centro-Oeste da cidade, para que desenvolvam habilidades tidas como essenciais no cuidado com os idosos da própria família e da comunidade em que vivem.

As ações foram coordenadas pela Escola de Serviço Público Municipal e Inclusão Socioeducacional (Espi), vinculada à Secretaria Municipal de Administração, Planejamento e Gestão (Semad), em parceria com a Fundação Doutor Thomas (FDT). Durante o ano, seis turmas foram atendidas pelo projeto, que faz parte do Programa de Formação do Cuidador e Atenção ao Idoso da Espi.

A Espi e a FDT estudam a possibilidade de ampliar a oferta em 2019 de vagas, de acordo com a diretora-geral da Espi, Stela Cyrino, o curso teve uma adesão muito grande da sociedade, tendo em vista que nós iniciamos a primeira turma com 50 vagas e, no decorrer do ano, as turmas foram sendo ampliadas. A última turma foi finalizada com um total de 114 pessoas certificadas.

Para a coordenadora do curso, Maria da Luz Abreu, o aumento da longevidade da população brasileira gera uma grande demanda de pessoas da terceira idade que necessitam de cuidados especiais.

SONORA: Martha Moutinho – Coord. Curso

“Estão surgindo cada vez mais cursos para especialização de cuidador de idosos, e isso é realmente importante, para cuidarmos com qualidade, as pessoas precisam aprimorar seus conhecimentos.”

Em 2017, o Ministério dos Direitos Humanos contabilizou mais de 33 mil denúncias de abusos e agressões contra idosos. Para a instrutora do curso, a mestre em serviço social, Darcy Amorim, é preciso que as famílias se preparem para tratar adequadamente do idoso com base no conhecimento, fazendo o uso de técnicas, e sempre buscando a melhoria da qualidade de vida destas pessoas.

O conteúdo programático do curso, com carga-horária de 15 horas, abordou noções de direitos humanos, políticas de apoio e discutiu situações recorrentes de violência e maus tratos voltados ao idoso, além de cuidados de higiene pessoal e os aspectos referentes à alimentação.

Texto: Adrisa de Góes / Semad