Amazonas Notícias

Prefeitura de Manaus e Cime inauguram horta urbana em escola para educação e sustentabilidade

Nesta sexta-feira, 16 de fevereiro, a Prefeitura de Manaus, em conjunto com o Centro Integrado Municipal de Educação (Cime) Lúcia Melo Ferreira Almeida, localizado no bairro Novo Aleixo, zona Norte, inaugurou uma horta urbana no ambiente escolar, envolvendo alunos da educação infantil em um projeto educativo e sustentável. A iniciativa, coordenada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Sustentabilidade e Mudanças Climáticas (Semmasclima) e apoiada pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam), visa promover a restauração ecológica e a educação ambiental por meio de práticas de cultivo de vegetais, hortaliças e frutas.

Este projeto-piloto de hortas urbanas e periurbanas em Manaus faz parte do esforço global de restauração de ecossistemas, alinhando-se ao projeto ‘Generation Restoration’ do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma). Manaus foi selecionada entre 250 cidades do mundo para participar desta iniciativa, destacando-se como uma das sete cidades globais no movimento de restauração ecológica.

Os estudantes tiveram a oportunidade de plantar as primeiras mudas, incluindo alface, couve, tomate, rúcula, feijão-de-metro, quiabo e maxixe, sob a orientação de professores e alunos do curso de Ciências Agrárias da Ufam. Este momento educativo visa não apenas fornecer uma fonte de alimentos nutritivos para a comunidade escolar, mas também servir como um modelo para futuros projetos de hortas urbanas e periurbanas na região.

O projeto também se destina a promover a consciência ambiental desde os primeiros anos de ensino, conforme destacado pelo professor de Matemática e diretor do Cime, Elbert Almeida. A horta urbana é vista como uma ferramenta para trabalhar conceitos de educação ambiental, alimentação saudável e valorização da vida.

A instalação da horta no Cime Lúcia Melo Ferreira Almeida representa um passo significativo em direção à integração de práticas sustentáveis no cotidiano educacional, alinhando conservação, educação ambiental e segurança alimentar. Com 700 alunos atendidos em tempo integral, a escola se torna um exemplo de como espaços educacionais podem contribuir para o enriquecimento nutricional e a formação cidadã consciente das próximas gerações.

Relacioandos