Manaus - 30.04.2019 Construção de ponte em áreas vulneráveis Foto.Altemar Alcantara.Semcom

A Prefeitura de Manaus, a partir da ação integrada de secretarias municipais, intensifica o plano de ação da “Operação Enchente 2019”. Após o monitoramento das áreas de inundação/alagação e a identificação de mais de 2 mil famílias afetadas pela subida do rio Negro, a etapa atual da operação consiste na construção de pontes provisórias nos bairros afetados pelo fenômeno.

De acordo com o relatório do departamento de Operações da Defesa Civil, 15 bairros da capital serão afetados pela cheia: Tarumã, Mauazinho, São Jorge, Educandos, Raiz, Betânia, Presidente Vargas, Colônia Antônio Aleixo, Aparecida, Centro, Santo Antônio, Cachoeirinha, Glória, Compensa, Puraquequara e zona rural ribeirinha.

As construções das passarelas já estão acontecendo no bairro São Jorge. Desde o primeiro alerta da cheia, no final de março até o momento, o órgão também vem trabalhando preventivamente para melhorar as condições das famílias afetadas.

“As ações da Operação Enchente 2019 continuam para que a gente consiga dar o apoio necessário às famílias que vão ficar nas áreas vulneráveis no período da cheia”, disse o secretário-executivo da Defesa Civil de Manaus, Cláudio Belém.

Ainda segundo o secretário, o órgão também vem realizando diariamente o monitoramento das áreas de riscos durante o período chuvoso na capital amazonense. “O nível do rio Negro está subindo e essas chuvas nesse período são preocupantes, porque pode haver algum desabamento ou acidente dentro dessas áreas de risco. A Defesa Civil está atenta a essa situação e tomando as providências junto às vulneráveis pela cheia 2019”, explicou.

A Defesa Civil do município acompanhou na manhã desta terça-feira, 30/4, a divulgação do Segundo Alerta de Cheia de 2019, realizada pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM). A previsão anunciada pelo instituto é que a cota poderá variar entre 28,47m a 29,17 metros, com a média de 28,82m, levando em consideração a maior cheia registrada na história em 2012, que atingiu a cota de 29,97 metros.

Foto: Altemar Alcântara