Um modelo de gestão integrada será implementado pela Prefeitura de Manaus em toda a estrutura da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) para melhorar ainda mais os indicadores da área, que medem os resultados das ações executadas na Atenção Primária. O projeto Gestão Integrada da Saúde (Gisa) foi apresentado nesta semana aos diretores de departamentos, gerentes e chefes de núcleos, em reunião no auditório da sede da Semsa, zona Centro-Sul.

A expectativa, segundo o secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi, é de que em um ano seja possível perceber os resultados. O trabalho será acompanhado por uma equipe de consultoria do Grupo Áquila, que possui know-how em modelo de gestão, com três escritórios internacionais e três no Brasil.

“Tenho certeza de que esse modelo vai nos auxiliar muito, porque a Semsa, por sua complexidade, pode ser considerada uma secretaria ‘desafiadora’. Aqui temos que dar conta de uma estrutura que tem mais de 230 pontos de atenção, uma maternidade, centros de atenção psicossocial, centros de especialidades odontológicas, laboratórios e cerca de 11 mil servidores. Tudo isso precisa ser administrado com o compromisso de prestar atendimento de qualidade aos usuários do Sistema Único de Saúde, como nos determina o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto”, ressaltou Magaldi.

Frentes de atuação

A metodologia a ser implementada é composta por cinco frentes de atuação: Estratégica, de Saúde, Processos, Competências e Financeira. “Por isso, temos que trabalhar com o sistema de gestão integrada”, reforçou o consultor Vinícius Miranda, do Grupo Áquila. Serão desenvolvidas atividades como a definição de indicadores em cada nível, o estabelecimento de metas e o plano de ação.

“O Grupo Áquila estará com a Semsa funcionando como uma enzima, percorrendo todo o organismo da gestão, ajudando em nosso dia a dia. O que pretendemos aqui é utilizar o melhor do conhecimento para fomentar as áreas meio e fim com a finalidade de maximizar os resultados e valorizar o trabalho de todos”, disse o subsecretário de Gestão Administrativa e Planejamento da Semsa, Jean Abreu.

“Não temos apenas um tipo de atividade, temos várias, o que requer diferentes processos. Por isso, temos que sistematizar nossas ações para melhorar nossos resultados e, consequentemente, melhorar a assistência à saúde da população”, reforçou Adriana Elias, subsecretária de Gestão da Saúde.

Texto – Wilson Reis / Semsa

Foto – Marcus Brito / Semsa