Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

-publicidade-

Prefeitura faz mapeamento e atualização da lista de unidades históricas no centro antigo

Serviços de planejamento e desenvolvimento, zoneamento, informações geográficas e mapeamento espacial fazem parte da ampla e minuciosa atualização do banco de dados iniciais de 1.656 unidades históricas do centro de Manaus, dez praças e 11 armazéns de porto listados no decreto 7.176/2004, usando o sistema ArcGIS. A atualização e revisão é uma das atividades concentradas na Comissão Técnica para Implementação e Revitalização do Centro Histórico de Manaus, criada pelo decreto 5.034, de 11/3, pelo prefeito David Almeida.

Mesmo durante a pandemia da Covid-19, a compilação de dados utilizando o programa de informação geográfica, não parou no Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb). Conforme a Gerência de Patrimônio Histórico (GPH), o trabalho segue com 71% dos serviços executados, visando a atualização da listagem com as unidades de interesse de preservação no centro antigo.

Neste mês, os técnicos do GPH estão verificando divergências na base cadastral, como a numeração encontrada no Boletim de Cadastro Imobiliário (BCI), tipos de vias e nomes de rua, com 29% em validação.

Nos próximos meses, vão ocorrer novas vistorias nas edificações que ainda apresentam pendência de informações e mapeamento. Durante o trabalho de vistoria em campo, novas unidades foram incluídas entre as classificadas como de interesse de preservação de 1º Grau e 2º Grau.

Revisão

“A listagem das edificações de interesse de preservação não passa por uma revisão minuciosa desde 2004. Durante todo esse período, decretos tiraram alguns imóveis da lista, ocorreram reformas ou até mesmo total abandono e ruínas de alguns bens. Têm unidades que desapareceram e outras foram reestruturadas e não faz mais sentido estarem na lista. A atualização com georreferenciamento e mapas geográficos modernos vai permitir uma melhor leitura e compreensão do centro antigo edificado”, explica o diretor-presidente do Implurb, engenheiro Carlos Valente.

As fases de trabalho são de vistoria em campo; atualização do mapa; criação de poligonais das edificações; inserção de fotos antigas e atuais; fichas técnicas dos imóveis ou lotes; revisões de números; grau de interesse e se sofreram alguma alteração nos últimos 5 anos. Estão concluídas as atualizações de 1.257 imóveis e bens.

A revisão, para o diretor de Planejamento do Implurb, arquiteto e urbanista Pedro Paulo Cordeiro, foi iniciada, mas não finalizada nos últimos cinco anos. “Agora temos uma compilação ampla, retirando, inclusive, duplicidade de endereços, e revisada com vistoria em campo, com todos os imóveis tombados nos níveis de interesse federal, estadual e municipal”.

O banco de dados no ArcGIS vai permitir um melhor desempenho em relação a essas unidades, tanto nas ações integradas de planejamento e desenvolvimento de projetos econômicos quanto na fiscalização.

A Comissão Técnica para Implementação e Revitalização do Centro Histórico de Manaus, com 12 membros, não será remunerada e conta com diretores, gestores e técnicos com expertise no tema do Instituto de Planejamento Urbano (Implurb), Secretarias Municipais de Finanças e Tecnologia da Informação (Semef) e do Trabalho, Empreendedorismo e Inovação (Semtepi), além da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult).

Texto – Claudia do Valle / Implurb

Foto – Divulgação / Arquivo Implurb

-publicidade-