Dentro de 90 dias, a Prefeitura de Manaus estará entregando mais dois poços artesianos construídos em parceria com o Governo do Japão, na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Tupé. Nesta sexta-feira, 8/2, o secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Antonio Nelson de Oliveira Júnior, e o cônsul-geral do Japão, Takahiro Iwata, assinaram a ordem de serviço para o início das obras. Os poços serão construídos nas comunidades São João e Colônia Central.

É a segunda intervenção realizada na unidade de conservação por meio de parceria firmada entre a Prefeitura de Manaus e o Consulado Geral do Japão, nos últimos cinco anos. Outros dois poços entregues pelo prefeito Arthur Virgílio Neto, em 2015, contemplaram as comunidades Agrovila e Julião. A obra consumirá no total, R$ 168,8 mil, e deverá ficar pronta em 90 dias.

“A austeridade e capacidade de gestão dos recursos fazem da Prefeitura de Manaus um ente de credibilidade e apto a executar projetos com recursos internacionais. Para o prefeito Arthur Virgilio Neto, é uma enorme satisfação poder executar mais duas obras que beneficiarão a população ribeirinha de mais duas comunidades, totalizando quatro beneficiadas das seis existentes, com o aval dos representantes do Governo do Japão, o que para nós é de grande valia”, afirmou o secretário Antonio Nelson. A empresa vencedora da licitação para a obra foi a Engefort Construção, Manutenção e Conservação Ltda.

Serão construídos dois poços com 120 metros de profundidade cada, dois reservatórios com capacidade para 10 metros cúbicos e duas bicas públicas para abastecimento das comunidades. O termo de doação para as duas obras foi firmado em novembro do ano passado pelo secretário Antonio Nelson e o cônsul-geral adjunto do Japão. A assinatura ocorreu na sede da Associação dos Moradores do São João e contou com a presença dos comunitários e lideranças. “Os poços irão contribuir positivamente na vida de todas as famílias que hoje dependem de um sistema de captação que oferece água de forma inadequada à comunidade. Representantes do Consulado Japonês estiveram nas comunidades e puderam comprovar a necessidade existente”, destacou o secretário.

A RDS é gerida pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas). O órgão foi o responsável pela articulação que resultou na aprovação do novo projeto de construção dos poços. O investimento é do Programa de Assistência a Projetos Comunitários de Segurança Humana do Ministério dos Negócios Estrangeiros do Japão.

Em agosto do ano passado, a representante do Setor de Política, Economia e Cooperação do Consulado Geral do Japão em Manaus, Takako Shima, visitou as duas comunidades para avaliar as condições de instalação dos poços, juntamente com técnicos da Semmas. Durante a visita, moradores das duas comunidades foram ouvidos pela representante do governo japonês. Ao todo, o projeto beneficiará 530 pessoas, sendo 340 residentes na comunidade São João, e 190 na Colônia Central – esta última localizada no ponto mais isolado da reserva, com dificuldade de acesso, sobretudo em período de vazante.

Representantes das duas comunidades participaram do ato da assinatura. A presidente da Comunidade São João, Kelly Freitas, destacou que o sentimento é de gratidão para com a Prefeitura de Manaus. “Estamos aqui hoje para agradecer o apoio e a atenção que recebemos da gestão municipal, por meio da diretoria de Áreas Protegidas da Semmas. Os poços são fundamentais para as nossas vidas porque sem água não conseguimos viver nem cuidar das nossas famílias”, afirmou Kelly.

O cônsul Takahiro Iwata pediu que a obra fosse realizada com o mesmo cuidado e comprometimento demonstrados pela administração do prefeito Arthur Neto na entrega das obras anteriores. “É uma alegria para nós sabermos que a Prefeitura de Manaus e a gestão da Semmas têm essa preocupação e que possamos fazer mais e mais projetos”, afirmou.

— —

Texto: Júlio Pedrosa / Semmas

Fotos: Arlesson Sicsu / Semmas