Com uma redução de 54,05% dos casos confirmados de doenças transmitidas pelo Aedes aegypti no ano de 2018, em comparação com 2017, a Prefeitura de Manaus já prepara a realização de um novo diagnóstico para levantar informações sobre o índice atual de infestação do mosquito no município de Manaus.

Sob a responsabilidade da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), o diagnóstico será realizado no período de 4 a 18 de fevereiro, incluindo os sábados, com o apoio de 380 profissionais.

Segundo a gerente de Vigilância Ambiental da Semsa, enfermeira Alinne Antolini, a estratégia de trabalho é baseada na visita domiciliar por meio de agentes de endemias, buscando identificar e coletar as formas imaturas (larvas) do mosquito, com eliminação e tratamento de potenciais criadouros do Aedes aegypti.

A estimativa é que sejam visitados aproximadamente 28 mil imóveis. “Por determinação do prefeito Arthur Virgílio Neto, a Semsa realiza esse trabalho periodicamente com o objetivo de obter informações sobre o nível de risco para a proliferação do Aedes, além de identificar os tipos mais frequentes de depósitos existentes nos domicílios”, explica Alinne Antolini.

Com esses dados, informa a gerente, será possível elaborar estratégias de combate ao mosquito de acordo com a realidade atual, além de tornar possível preparar um Mapa de Vulnerabilidade dos bairros, identificando os locais prioritários para o controle do Aedes.

Casos

Em 2018, o município de Manaus registrou 419 casos confirmados de dengue, zika vírus e chikungunya, representando uma redução de 54,05% em comparação com 2017, quando foram confirmados 912 casos.

Em comparação a 2017, os casos confirmados de dengue reduziram em 79%, os de zika vírus diminuíram em 10,29% e a redução de chikungunya chegou a 91,7%.

“Como Manaus está em um período de chuvas, o alerta da população deve ser ainda maior para que não haja aumento no número de casos. A orientação é que todos colaborem, realizando a inspeção semanal através do ‘check list 10 minutos contra o Aedes’, identificando e eliminando possíveis criadouros do mosquito”, reforça Alinne Antolinni.

Educação em Saúde

Além da visita nas residências, os agentes de controle de endemias realizarão ações de Educação em Saúde nos domicílios visitados com o intuito de orientar a população sobre os sinais e sintomas das doenças transmitidas pelo Aedes, e as formas de prevenção para minimizar os riscos e combater os focos propícios para a criação e reprodução do mosquito transmissor.

— — —

Texto: Eurivânia Galúcio/Semsa