Devido a grande demanda de refugiados venezuelanos que chegam diariamente à capital amazonense, a Prefeitura de Manaus promoveu nesta quarta-feira, 22/5, uma palestra sobre assistência no atendimento ao imigrante. A capacitação foi ministrada, na sede da Escola de Serviço Público Municipal e Inclusão Socioeducacional (Espi), Flores, zona Centro-Sul.

A palestra foi voltada aos servidores que trabalham com o fluxo migratório, em especial os da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), que administra três espaços de acolhimento provisório, da Prefeitura de Manaus, para refugiados, entre venezuelanos indígenas e não indígenas.

“Essa é uma determinação do prefeito Arthur Neto, para que possamos preparar nossos servidores com os cursos oferecidos pela Espi. Atualmente, estamos trabalhando com esse público de refugiados venezuelanos, então os profissionais devem estar capacitados para lidar com essa nova problemática”, destacou a titular da Semasc, Conceição Sampaio.

Para a assistente social que foi a mediadora da palestra, Camila Nascimento, são nesses espaços de aprendizado que se adquire maior conhecimento sobre a temática, possibilitando a melhora na assistência ao imigrante refugiado.

“Eu acredito que a palestra é um suporte para que diversos assuntos sejam abordados entre os profissionais, que atuam diretamente com a demanda, também, é uma oportunidade para aperfeiçoar a rede de atendimento e serviços”, ressaltou a palestrante.

Durante o evento, foram citadas características desse público, como hábitos e cultura. Além de como o profissional deve se portar diante de algumas situações que podem ocorrer no dia a dia, mediante os variados desafios encontrados.

De acordo com a assistente social Emanuele Paiva, que atua em uma das unidades dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras), é de suma importância que capacitações como essa ocorram, para que o profissional esteja apto para o atendimento.

“Há uma grande demanda dentro dos equipamentos da Semasc, por isso é fundamental que tenhamos essas oportunidades onde podemos discutir o assunto da imigração venezuelana, podemos conhecer outras realidades e aprender a realizar um atendimento mais eficaz”, afirmou.

Programação

Os temas abordados foram sobre a política, princípios e diretrizes da assistência social no Sistema Único de Assistência Social (Suas), competências federativas e a organização da oferta de atendimento aos imigrantes, caracterização dos imigrantes, questões sociais e exploração sexual.

Texto – Jordana Santos/Semasc

Foto – Divulgação / Semasc