21.11.18 Seminário de Boas Práticas da Vacinação contra o Sarampo. Fotos: José Nildo/Semsa.

Para alinhar processos e informações referentes ao enfrentamento do sarampo em Manaus, dentro das estratégias já adotadas e com ênfase na melhoria da cobertura vacinal, a Prefeitura de Manaus realiza até esta quinta-feira, 22/11, o “Seminário de Boas Práticas da Vacinação contra o Sarampo”, no auditório Carlos Alberto Bandeira de Araújo, do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM), na avenida Coronel Teixeira, zona Oeste.

Segundo o secretário municipal de saúde (Semsa), Marcelo Magaldi, é hora de unir esforços e conhecimento técnico para uma nova fase de trabalho, que é a de combate, ainda mais forte, à doença em Manaus. As informações colhidas durante o período mais crítico da doença estão sendo criteriosamente analisadas para que novas ações repercutam ainda mais fortemente, com a intenção de diminuir a incidência de casos que ainda ocorrem em nossa cidade, conforme nos determinou o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto.

Cerca de 2 mil profissionais, diretamente ligados aos processos nas unidades de saúde do município e do Estado, estão participando, desde a manhã desta quarta-feira, 21, dos seminários. Eles foram divididos em sete turmas, com duração de duas horas de atividades cada.

A Secretaria Municipal de Saúde levou 612 vacinadores, o que corresponde a 100% dos profissionais das Salas de Vacina das unidades de saúde e policlínicas; dois responsáveis pelo acolhimento nas recepções das Unidades Básicas de Saúde (UBSs), sendo um por turno, totalizando 460 profissionais; e os 230 diretores de unidades.

O público-alvo da Secretaria de Estado da Saúde (Susam) são profissionais do Núcleo de Vigilância em Saúde e dos Centros de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (CAICs), para os quais foram destinadas 70 vagas por turma.

Participam também profissionais da Susam e da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), que vão atuar na intensificação do trabalho tanto na capital quanto em municípios do interior do Amazonas.

Segundo o diretor-presidente da FVS, Bernardino Albuquerque, o alinhamento para novas ações resumem a preocupação para o número de casos residuais.

“Agora, devemos continuar com mais poder de ataque para detecção de casos com bloqueio imediato, do caminho de transmissão/doença. Estado e Município querem alertar os profissionais para uma atividade ainda mais eficiente. Por isso, continuamos recomendamos aos pais sobre a necessidade da colaboração para levar as crianças nas UBSs”.

Texto: Agnaldo Oliveira Júnior/Semsa

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here