As Principais Notícias do Estado do Amazonas estão aqui!

Primeiro dia de leilão do Governo do Estado gerou receita 66% acima do esperado

Neste sábado (1º/6), segundo e último dia, serão leiloados 400 carros

O primeiro dia do Leilão de Bens Móveis do Governo do Amazonas, organizado pela Secretaria de Estado de Administração e Gestão (Sead), foi marcado por lances de até 2.000% acima do valor inicial. A receita apurada até agora é de R$ 655,1 mil, 66% acima do esperado para o primeiro dia.

Nesta sexta-feira (31/5), foram leiloadas 180 motos e outros materiais e equipamentos, como carteiras e bebedouros. O leilão continua no sábado (1º/6) com 400 carros e é realizado na sede da Leilão Manaus, na avenida Torquato Tapajós, 5.050, Flores.

Segundo a secretária de Estado de Administração e Gestão (Sead), Inês Carolina Simonetti, um lote formado por dois motores de popa avaliados em R$ 200 foi vendido por R$ 4,3 mil. Também houve um caso de um lote formado por equipamentos de informática, televisores LCD e um violão cujo lance inicial era R$ 1 mil e foi arrematado por R$ 8 mil, 700% acima da avaliação inicial.

“Avalio o leilão como um sucesso. Temos pessoas de diversos estados participando porque o leilão é presencial e online. Empresas, de diversas cidades, especializadas, por exemplo, em adquirir sucatas”, contou Inês.

Ao todo, serão mais de 32 mil itens agrupados em 670 lotes. “O valor arrecadado irá para a conta única do Estado. Esse leilão irá ajudar a equilibrar as contas públicas. Além disso, dará um destino correto a bens que estavam ocupando os galpões da Sead, uma área total de 7 mil metros quadrados. Já não se tinha mais onde armazenar bens inservíveis dos órgãos e secretarias que compõe o Governo”, explicou.

Além de poder adquirir um bem por um preço em conta, quem foi ao leilão encontrou um oportunidade de lucrar e, ainda, contribuir com o meio ambiente. “É muito importante pra nós que somos sucateiros porque é um incentivo que o Governo nos dá para aumentar nossa renda. Consegui tirar três lotes. Agora é trabalhar em cima da mercadoria que não tem mais serventia pro Governo, mas a gente reaproveita, com certeza, trazendo o quê? Coisas boas para o meio ambiente: reciclagem de placa, de plástico e diversos produtos”, disse Junior Gonçalves, 46 anos.

Novos leilões – Segundo Inês Carolina Simonetti, a Sead já planeja um novo leilão assim que esse for concluído. “Agora, com os galpões desocupados, temos condições de voltar a receber os inservíveis das secretarias e começar a organizar um novo leilão que, provavelmente, será entre o fim deste ano e o início do próximo”, contou a secretária.

FOTO: ROBERTO CARLOS/SECOM

você pode gostar também