A produção industrial brasileira caiu 0,3% em agosto. A principal atividade que influenciou a queda foi o setor de derivados do petróleo. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados nesta terça-feira (2).

Dos 26 ramos de atividade da indústria, 14 recuaram em agosto. A principal influência negativa foi do setor de derivados do petróleo e biocombustíveis, que caiu 5,7%. O IBGE ressalvou, porém, que o resultado do setor foi impactado pela interrupção da produção em algumas unidades.

Em seguida, aparece a indústria de bebidas, com redução de 10,8%, e a produção de produtos alimentícios, com queda de 1,3%.

As taxas negativas em agosto foram puxadas também pelo recuo de 2,1% na indústria de bens intermediários e 0,6% no setor de bens de consumo semi e não-duráveis.

Também em relação ao mês de julho, o segmento de bens de capital avançou 5,3% e os bens de consumo duráveis, 1,2%.

Por outro lado, os destaques de alta na produção foram os produtos farmacêuticos, aumento de 8,3%, equipamentos de informática, 5,1%, e veículos, 2,4%. No acumulado do ano, o resultado da produção industrial é positivo com 2,5%.

O levantamento mostra ainda que na comparação com agosto do ano passado houve aumento de 2%.

Contudo, a avaliação, segundo o IBGE, é de perda de ritmo no setor. Isso porque em maio de 2018, na comparação com o mesmo mês do ano anterior, apontou crescimento de 3%. Desde então os valores comparativos estão reduzindo.

Reportagem, Clara Sasse

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here