O professor da rede municipal de ensino acusado de abusar sexualmente de alunas foi solto durante audiência de custódia em Manaus. Para a justiça a prisão dele foi ilegal. Já a Secretaria Municipal de Educação (Semed) informa que o servidor foi afastado das atividades até o fim as investigações.

A juíza Rosália Guimarães Sarmento diz que o Ministério Público considerou que a prisão em flagrante foi ilegal, na decisão da audiência que resultou na soltura do professor. A magistrada determinou ainda adoção de medida protetiva para a vítima. Com isso, o professor e a aluna não devem ter contato ou ficar no mesmo ambiente.

O Tribunal de Justiça do Amazonas informa em nota que o servidor público vai responder processo criminal na 2ª Vara de Crimes Contra a Dignidade Sexual de Crianças e Adolescentes. De acordo com a justiça, ele responderá em liberdade e maiores detalhes não podem ser divulgados, “com base na legislação em casos que envolvem menores de idade”.

Já Ministério Púlbico informa que o caso será acompanhado pela Vara Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente.

Entenda o caso

Na noite de segunda-feira (1º), o professor suspeito de abusar de, pelo menos, três alunas, com oito e nove anos, foi preso em flagrante. Segundo a Polícia Civil, ele prometia aumentar as notas das meninas se elas o deixassem cometer os atos libidinosos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here