Take a fresh look at your lifestyle.

Professoras da Seduc-AM publicam artigo em revista científica sobre ferramentas digitais na rede pública

-publicidade-

Ferramentas digitais melhorarão trabalhos em sala de aula, apostam professoras

O uso inteligente das ferramentas digitais, como diferenciar Fake News de fatos verdadeiros e transformar a informação em conhecimento. Estes foram os objetivos da pesquisa realizada por duas professoras da Secretaria de Estado de Educação (Seduc-AM) que se transformou em artigo científico, publicado na Revista Docência e Cybercultura, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

As professoras-pesquisadoras Maria Inez Pereira de Alcântara e Ana Patrícia Lima Sampaio pensaram na formação continuada para os professores da rede pública da Seduc-AM. A ideia principal era verificar se e como os educadores utilizavam os aplicativos online para aprimorar os trabalhos em sala de aula.

As ferramentas como Google Forms e Agenda, entre outras, são gratuitas e estão disponíveis na web. Basta fazer download e utilizar de maneira pedagógica, didática, trazendo para o ambiente educacional uma perspectiva de melhorar o processo de ensino-aprendizagem.

“Atualmente, muitas crianças sabem utilizar esses aplicativos e têm maior identificação com eles do que os próprios professores. O primeiro grupo é de nativos, enquanto os educadores são imigrantes; alguns ainda estão em processo para o contexto digital”, explicou Maria Inez, que também é coordenadora da Produção Científica da Seduc-AM.

Maximização do tempo e coletividade – A utilização significativa (ou seja, o uso com criticidade e, neste caso, com sentido pedagógico) das ferramentas online potencializa o trabalho, de acordo com a professora-pesquisadora. Os educadores podem auxiliar uns aos outros em textos coletivos e melhorar o processo de ensino-aprendizagem, inclusive com vivências experimentadas em salas de aula.

“E sendo Google, pode ser compartilhado e editado, de forma remota. É possível criar um artigo científico, por exemplo, com pessoas que trabalham na capital e quem está em algum município do interior ou em outro estado, além de ser perfeitamente encaixado nas aulas”, ressaltou Maria Inez.

A professora-pesquisadora fez Magistério, tem experiências com Ensino Fundamental e Médio e atualmente dá aulas no Ensino Superior. Tem Licenciatura Plena em Pedagogia, mestrado em Educação e Ensino de Ciências na Amazônia, pela UEA, além de doutorado em Ciências da Educação pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (em Portugal).

Ana Patrícia está finalizando mestrado também em Portugal e iniciando doutorado na Argentina com um grupo de professores da Secretaria de Educação.

-publicidade-