Pacientes que estão internados em hospitais, mas que tenham condições de continuar o tratamento em casa, podem contar com o Programa Melhor em Casa, do Ministério da Saúde. O programa está ampliando o número de equipes para atender as crescente solicitações desses pacientes que preferem ficar junto aos familiares. Essa modalidade de atenção à saúde é caracterizada por um conjunto de ações de prevenção e tratamento de doenças, reabilitação e promoção à saúde prestadas em domicílio, garantindo a continuidade de cuidados ao paciente, como explica a coordenadora geral da Atenção Domiciliar do Ministério da Saúde, Mariana Borges.

“É um programa com equipes completas com médicos, enfermeiros, assistentes sociais, fisioterapeutas, técnicos de enfermagem; que pode fazer uma antibiótico terapia, que pode fazer curativos, reabilitação, sempre no domicílio e funciona sete dias por semana, de domingo à domingo, a pessoa vai receber quantas visitas o estado Clínico dela tiver necessidade”.

E o ano de 2019 começou com o maior número de equipes em funcionamento, desde que o programa Melhor em Casa foi iniciado há sete anos. Atualmente são mais de mil equipes atuando em 405 municípios. Por mês, essa força-tarefa consegue proporcionar atendimento a 38.500 pessoas, conforme explica Mariana Borges.

“O Melhor em Casa faz essa desospitalização, tira de dentro do hospital, o que propicia a rotatividade daquele leito para outras pessoas que precisam mais, que têm estado de saúde mais grave e evita, também, a permanência exagerada que leva muitas vezes a pegar infecção hospitalar. Então, o paciente vai antes para casa, a equipe acompanha ele à residência quantas vezes forem necessárias, o leito hospitalar é rodeado e ainda há uma economia de recurso em cima disso, abre-se acesso”.

Para aperfeiçoar o atendimento dos profissionais de saúde no campo da Atenção Domiciliar, o Ministério da Saúde mantém parceria a Universidade Aberta do SUS (UNASUS) e outras oito Universidades, onde é realizado o Programa Multicêntrico de Qualificação à Distância em Atenção Domiciliar.

Reportagem, Janary Damacena

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here