OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Uma semana de intensa programação acadêmica cultural promete movimentar estudantes, professores e interessados em literatura de um modo geral para lembrar as várias facetas de Guimarães Rosa: contista, novelista, romancista e diplomata. O autor brasileiro é o tema da 3ª edição da Semana do Livro, evento realizado pela Prefeitura de Manaus em parceria com instituições de Ensino Superior de Manaus em alusão ao Dia Mundial do Livro, celebrado na data estipulada pela Unesco, dia 23 de abril.

O evento inicia nesta segunda-feira, 22/4, às 14h, no Les Artistes Café Teatro, e vai até sexta-feira, 26/4, em mais quatro locais diferentes com programação simultânea na Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Centro Universitário do Norte (Uninorte) e Casarão de Ideias. A programação completa está disponível em: https://vivamanaus.com/semanadolivro2019/ .

“A Semana do Livro nasceu com o propósito de trazer a literatura para o dia a dia da cidade. Hoje ele cresceu e tornou-se único no propósito de reunir várias instituições, voltado às várias dimensões da literatura”, afirmou o coordenador do Museu da Cidade, Leonardo Novellino.

Para o professor da UEA, Jhon Weiner de Castro, responsável pelas apresentações teatrais junto com os alunos do Grupo Teatro Experimental da UEA (TEU), promover uma semana dedicada a um autor ajuda a aproximar a sociedade desse universo literário. “Quando você tem um seminário, uma apresentação teatral, um evento falando sobre aquilo é mais uma possibilidade de entrar em contato, despertar interesse e o diferencial são os encontros em locais diferentes, envolvendo instituições diferentes, o que reverbera o ano todo. Ainda hoje tem gente que me procura para falar sobre o Shakespeare, que foi o autor homenageado ano passado”, afirmou.

O professor da UEA, João Fernandes, proprietário do Casarão de Ideias, ressalta que aproximar a literatura dos grandes clássicos do contexto da juventude, possibilita novos lugares e releituras desse universo. Exemplo disso é a exposição de desenhos “Guimarães: Rosa e Espinho” que ficará aberta à visitação no Casarão de Ideias, realizada pelo Ateliê e Escola House 137, com curadoria de Óscar Ramos (Museu da Cidade). “Ampliar as linguagens também é algo maravilhoso e, para nós, receber a exposição com desenhos, agrega novas possibilidades de apreciação da arte, tão necessária nos dias atuais”, disse.

A Semana do Livro inicia nesta segunda-feira, 22/4, com a apresentação teatral “Famigerado”, do livro “Primeiras Estórias”, de Guimarães Rosa, com os atores Jean Palladino (UEA) e Leonardo Novellino (Museu da Cidade), com a direção do professor Jhon Weiner de Castro (UEA).

O professor doutor Paulo Emílio Matos Martins, da Universidade Federal Fluminense, é o convidado deste ano que abordará o tema “A reinvenção do sertão”; durante o Seminário de abertura. Participam da mesa os professores doutores Daniel Cavalcanti Atroch (Uninorte), que falará sobre “O caráter não confiável do narrador de Grande Sertão: Veredas”; e José Seráfico (Ufam), com o tema “Um facínora compadecido”. O Coro de Câmara da UFAM realiza o encerramento juntamente com o lançamento, venda e assinatura do livro “A Reinvenção do Sertão”, do professor doutor Paulo Emílio.

À noite, às 19h, o debate acontece na Escola Superior de Ciências Sociais (ESO/UEA).

Estudioso da cultura popular brasileira, Guimarães Rosa direcionou suas obras pela exploração do universo do sertão brasileiro, com ênfase nos temas nacionais, marcado pelo regionalismo e mediado por uma linguagem inovadora, com invenções linguísticas, arcaísmo, palavras populares e neologismos. O livro “Grande Sertão: Veredas”, publicado em 1956 e traduzido para diversas línguas, é uma das expressões artísticas mais conhecidas do autor.

Texto: Divulgação / Manauscult

Foto: Ingrid Anne / Manauscult