Amazonas Notícias

Projeto ‘Aldeia do Brincar’ expõe obras de artes das crianças de creche municipal 

Projeto ‘Aldeia do Brincar’ expõe obras de artes das crianças de creche municipal 

Pinturas com as mãos, pés e colagem com folhas, barbantes, plásticos e papelão foram utilizadas pelas crianças da creche municipal Professora Eliana de Freitas, da Prefeitura de Manaus, na exposição “Aldeia do Brincar”, que faz parte do projeto “Baby Galery 2023 – Brincando e fazendo arte”. A mostra foi nesta sexta-feira, 1º/9, na entrada, nos corredores e nas salas da unidade de ensino, bairro Cidade Nova, zona Norte.

Essa é a 6ª edição do Baby Galery, que sempre desenvolve um tema; o deste ano foi a brincadeira infantil. Cada turma escolhe um artista inspirador e a professora trabalha o assunto com as crianças. No total, foram aproximadamente 220 obras de artes, feitas de forma individual e coletiva pelas crianças.

Segundo a gestora Nelciane Alencar, esse é um projeto realizado pela creche, que envolve as professoras, as crianças e os familiares. “Há seis anos é realizado esse projeto, que inicia em abril e encerra com a exposição no fim de agosto. Existem várias etapas trabalhadas em sala de aula com a professora, que vai desde a apresentação do artista escolhido pela turma e a confecção das obras de artes, que seguem as diretrizes do próprio artista escolhido”, informou a gestora.

A turma do maternal 2 homenageou o artista plástico André Hulk. Ele  é manauara, trabalha com grafite desde 2010 e a marca registrada dele é o uso da cor verde, para retratar o regionalismo amazônico, representado por um personagem indígena. 

A professora da turma, Luciane Priante, conheceu o artista por intermédio de um programa de televisão. Ela contou que André visitou a creche e pintou com as crianças. “Ele visitou nossa creche, participou da nossa rodinha, onde conversou, contou história da Iara e cantou músicas. Dessas histórias e músicas foram criadas obras de artes, com pinturas e colagens. Esse tipo de atividade é muito importante para as nossas crianças, que desde cedo desenvolvem o interesse pela arte”, citou a professora.

Ao fim da exposição, as obras serão entregues aos pais ou responsáveis. Ingrid Araújo, mãe da pequena artista Luiza Beatriz Araújo, de 2 anos, disse que a arte da filha já tem local certo em casa. “Na estante da sala, é lá que vai ficar o quadro da minha filha e todo mundo que chegar em casa vai ver a arte que ela fez”, disse a mãe toda orgulhosa da filha, que utilizou barbante para fazer um desenho.

— — —

Texto – Érica Marinho/ Semed

Fotos – Eliton Santos/ Semed

Relacioandos