Take a fresh look at your lifestyle.

Projeto Amazonas Enem Sem Fronteiras comemora bons resultados e promove aulão comentado neste sábado (22)

-publicidade-

O projeto Amazonas Enem Sem Fronteiras vem acumulando sucesso durante os três anos de existência, atingindo os 62 municípios do Estado, via Centro de Mídias, da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (SEDUC). Hoje, o projeto está mais que consolidado e com reconhecimento nacional.

Ao longo desse período, o projeto veio se aperfeiçoando e hoje é uma referência de ensino em todo o Estado. Conforme informações do coordenador do Amazonas Enem Sem Fronteiras, Aldemir Malveira, o projeto teve ideia dentro do Grupo de Trabalho de Matemática, onde atuou em diversas frentes, combatendo os baixos índices de aprendizado. Como era mais voltado para o Ensino Médio, o Departamento de Políticas Públicas, junto com a Gerência do Ensino Médio da SEDUC se colocaram à frente dessa grande empreitada, até então considerada coisa simples.

O projeto iniciou com apenas quatro componentes: Língua Portuguesa, Matemática, Física e Química. “No decorrer do ano de 2014 nós fomos aumentando, e de certa forma, contemplando todas as subáreas dentro das grandes componentes. Então surgiu a Redação, dentro de Linguagens, depois surgiu a Literatura e os Gêneros Textuais. A matemática continua só por por ser uma grande macroárea. Nós acrescentamos Biologia dentro da Ciências da Terra, com Química, Física, ela ficou completa e tínhamos somente aula de Geografia dentro da área de Humanas”, ressaltou.

No anos de 2015 quase todas as componentes estavam completas, fato que aconteceu em 2016, com Língua Espanhola e Língua Inglesa. “Agora nós temos todas as componentes. Além da Língua Espanhola e Inglesa, temos a Filosofia, Sociologia, História, Geografia, Biologia, Genética, a Matemática e toda a parte da Literatura, trabalhando todas as épocas, então o projeto cresceu”, destacou Malveira. Outra novidade do projeto Amazonas Enem Sem Fronteiras é a utilização dos recursos tecnológicos, transformando as aulas mais dinâmicas e interativas, por meio do Centro de Mídias, como o projeto é transmitido e vai ao ar todos os sábados, das 9h às 11h30.

“No decorrer desse tempo nós fomos ganhando credibilidade e esse pequeno projeto se transformou numa grande ação do Governo do Estado. Então, hoje já é um projeto consolidado. Nós somos referência no Estado, aonde quer que você vai, temos o Amazonas no Enem sem fronteira, que é o nosso nome atual que também passou por essa evolução”, disse o professor Aldemir.

O projeto tem colhido bons frutos nos três anos de existência. No ano de 2014, o ingresso de alunos da rede estadual nas universidades públicas por meio do Enem era de 1250 estudantes. Em 2015 foram 1700 novos universitários que puderam galgar vagas dentro das instituições de ensino superior, sendo um dos jovens alunos, da Escola Estadual Dom Pedro II, classificado em primeiro no curso de medicina.
Por que Amazonas Enem Fronteira?

Atualmente o projeto atinge todo Estado via centro de mídias, entrando nos 62 municípios do Estado. Além disso, ao entrar em cada município, cada município ainda tem as comunidades, chegamos ao nível de 135 pontos aos sábados. Esse Impacto é mais de 50 mil alunos.

Conforme dados do Sistema Integrado de Gestão Educacional do Amazonas (Sigeam), hoje a rede atende quase 200 mil alunos do Ensino Médio. O 3º ano do Ensino Médio também segundo os dados dos Sigeam, atinge a marca de mais de 70 mil alunos, porém, a ação, de forma tão consolidada que foi, e a propaganda boca a boca do aluno, não só aluno do 3º ano assiste, mas como os alunos dos 1º e 2º anos porque eles gostam de como a aula é produzida.

“Nós ficamos no caráter de reforço, reforçar as habilidades. Como nosso foco é o Exame Nacional do Ensino Médio, então todo o nosso projeto é pautado na matriz de referência do Ensino Médio. Mas a matriz é um recorte da nossa matriz curricular, nós contemplamos os conteúdos também de sala de aula, só que com uma nova roupagem, uma roupagem interdisciplinar e totalmente contextualizada. Isso é o grande diferencial do nosso projeto: a contextualização. Então nós não só nos prendemos a livro, mas no entrelaçamento das grandes quatro macroáreas. Quando eu ministro aula de Matemática, eu vou em História, Física, Biologia e vou dentro de Linguagem. A ideia é essa, percorrer as quatro macroáreas e o aluno viu um diferencial nisso”, explicou Aldemir Malveira.
Deficientes auditivos
Os alunos com deficiência auditiva foram contemplados, neste ano, no projeto Amazonas Enem Sem Fronteiras. Um intérprete de libras que, ao vivo, diretamente do Centro de Mídias, faz a tradução para os alunos.

Último aulão comentado de 2016

Neste sábado (22), no Centro de Mídias, localizada na avenida Waldomiro Lustoza, 250, Japiim 2, Zona Sul de Manaus, acontece o último aulão comentado, que será transmitido para todo o Amazonas. O simulado foi aplicado nesta sexta-feira (21) para dezenas de escolas em todo o Estado e será corrigido, ao vivo, pelos professores, e também, os mestres vão tirar dúvidas dos alunos.

O simulado comentado possui 27 itens, sendo três de cada componente. Ao final de cada componente o professor vai chamar sua dica para o Enem 2016.

Fotos: Jhonny Lima/Asscom SEDUC

-publicidade-