Projeto da escola estadual Maria da Luz Calderaro será apresentado na “Genius Olympiad” em Oswego, no Estado de Nova York.
Cursando o 3º ano do ensino médio na escola estadual Maria da Luz Calderaro, localizada no bairro Redenção, zona centro-oeste de Manaus, o estudante Hendrick Malcher Jost, 17, juntamente com o professor de Biologia da escola, Andrey Damasceno, foram selecionados para participar do evento educacional Genius Olympiad programado para ocorrer no próximo mês de junho em Oswego, cidade do Estado de Nova York, nos Estados Unidos.

O estudante e o professor da rede pública estadual participarão da Genius Olympiad a convite da Oswego State University of New York pelo desempenho de ambos na última edição da Feira de Ciências da Amazônia, ocorrida nos dia 6 e 7 de novembro de 2014 em Manaus. Na Feira, o estudante Hendrick Malcher e seu professor Andrey Damasceno expuseram o projeto “Bioprospecção de Fungos Basidiomicetos Produtores de Enzimas Fenol Oxidases Usados na Biorremediação” que os gabaritou para participar do evento internacional.

De acordo com o professor Andrey Damasceno, o projeto teve uma repercussão muito positiva na Feira de Ciências da Amazônia e a proposta é aprimorar os estudos e experimentos para apresentá-los em Nova York. “Desenvolvemos um projeto selecionando fungos que apresentam potencial para degradar compostos recalcitrantes”, disse.

Segundo o professor, esse potencial inerente a alguns fungos pode atuar no sentido de degradar (destruir) materiais danosos ao meio-ambiente, como garrafas pet e até mesmo plásticos derivados do petróleo que quando inservíveis são prejudiciais à natureza. “Faremos, agora, testes in loco com garrafas pet para observar o potencial de degradação desses micro-organismos. O projeto teve excelente repercussão na Feira de Ciências da Amazônia e nos gabaritou para essa grande oportunidade no evento internacional”, explicou o professor.

Segundo o estudante Hendrick Malcher, o projeto está fundamentado na valorização do meio-ambiente. “O professor (Andrey) me apresentou essa proposta de trabalho ao ressaltar que esta pesquisa seria uma forma de ajudar o meio ambiente e eu aceitei imediatamente, pois desde criança, sempre procurei ter uma consciência voltada à preservação. Quando o professor me explicou que no projeto iríamos conseguir enzimas de um fungo para que degradassem garrafas pet, que inutilizadas agridem o meio-ambiente, fiquei bastante interessado em trabalhar a proposta”, destacou Hendrick.

Relevância – De acordo com o professor Andrey Damasceno, o projeto tem imensa relevância e deve ter repercussão considerável na Genius Olympiad. “A biodiversidade amazônica é incontestável e cabe a nós utilizarmos os recursos naturais como alternativa para minimizar os impactos ambientais. Hoje temos um grande problema, que é o acúmulo de lixo. Se nós encontrarmos um micro-organismo que degrade esses materiais, será um marco. Com o nosso projeto, podemos estar perto de encontrar essa solução”, revelou.

Para Hendrick, a expectativa em participar da Genius Olympiad é grande. “A minha expectativa em participar da Olimpíada é bastante positiva, pois eu acredito na importância da pesquisa que estamos realizando”, citou o jovem.

O gestor da escola estadual Maria da Luz Calderaro, professor Antônio Onorato, falou da satisfação em ter um projeto de sua escola participando de um evento da magnitude do Genius Olympiad. “Ter um aluno representando a nossa escola em uma competição internacional é o sonho de qualquer gestor. As nossas expectativas são as melhores possíveis e esperamos que esse projeto desperte e incentive o surgimento de muitos outros de igual relevância”, afirmou.

A Olimpíada – A Genius Olympiad é uma competição internacional que envolve trabalhos relacionados a questões ambientais, proporcionando desafios e oportunidades para alunos do ensino secundário, a fim de desenvolver habilidades e conhecimentos necessários para formar cidadãos, líderes, cientistas, artistas, escritores, engenheiros e agentes que irão promover e contribuir para uma maior sustentabilidade ambiental ao longo de suas vidas.

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), Secretaria de Estado de Ciência Tecnologia e Inovação (Secti) financiarão as despesas com passagem e hospedagem do estudante e de seu professor.

Além da participação do projeto da rede pública estadual, o evento contará também com um projeto regional que será exposto por representantes do Instituto Federal do Amazonas (Ifam).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here