Estudantes de duas unidades de ensino da capital participaram do projeto “A escola vai ao teatro”, realizado pelo Teatro Manauara, em parceria com a Seduc-AM e escolas particulares

Jogos de luzes, objetos e tecidos ‘transportaram’ 150 alunos de escolas da rede estadual de Manaus para o universo mágico do teatro, na manhã desta terça-feira (11/06), no Teatro Manauara (avenida Mário Ypiranga Monteiro, 1.300, Adrianópolis). Durante duas horas, os estudantes puderam conferir ao espetáculo “Da Grécia aos palcos do Brasil”, assinado pela companhia Interarte, em sessão do projeto “A escola vai ao teatro”, realizado pelo Teatro Manauara em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc-AM).

Com idades entre 8 e 14 anos, os estudantes da Escolas Estaduais Simon Bolívar e Altair Severiano Nunes formaram a animada plateia do espetáculo, junto aos alunos de outras sete escolas particulares e municipais. A montagem escolhida para esta terça-feira (11/06) foi “Da Grécia aos palcos do Brasil”, um compilado de histórias que têm como objetivo retratar – com muito bom humor e interatividade – a história do teatro mundial.

“Esse espetáculo é uma homenagem ao teatro. Nossa ideia era celebrar a arte e mostrar para as crianças como é feito e funciona o teatro, que é exatamente a proposta do projeto. Começamos com um palco vazio e fomos construindo o cenário ao longo da peça, para que os alunos entendessem esse processo”, afirmou o diretor da Interarte, Roger Barbosa.

Por meio de quatro esquetes, a companhia manauara traçou uma linha do tempo do teatro: desde o seu nascimento, na Grécia; até a chegada ao Brasil, com os jesuítas. “Queremos que esses estudantes saiam daqui com um breve panorama dessa arte e, mais importante, que voltem para casa com vontade de criar e brincar de teatro”, acrescentou Roger.

Fã de musical e comédia, a jovem Natália Paiva Ribeiro, 14, aluna da E.E. Altair Severiano Nunes, acredita que a aproximação com o teatro ajuda os alunos a respeitarem as diferenças entre as pessoas. “Aqui [no teatro], podemos deixar nossa criatividade mais livre, e isso acaba auxiliando, ainda, em algumas áreas de ensino, principalmente na Arte, que faz com que a gente compreenda o mundo com outros olhos”, destacou a estudante.

Dentre as várias histórias interpretadas pela Interarte, Natália escolheu a última como sendo a sua favorita. Na esquete, a companhia teatral deu vida ao conto popular “O pescador, o anel e o rei”, no qual um rei arma uma cilada para um pescador simples, que tinha muita fé e alegria.

“A parte de que mais gostei foi o final, quando o pescador consegue encontrar o anel perdido e, de quebra, dá uma lição de moral no rei. Foi muito bom!”, exclamou.

Nostalgia – Não foram somente os estudantes que curtiram a manhã de teatro, nesta terça-feira. Os professores também se encantaram com o espetáculo “Da Grécia aos palcos do Brasil”. Jennifer de Oliveira Carvalho, educadora da E.E. Altair Severiano Nunes, disse que “se viu no palco”.

“Vi um pouco da minha história ali porque, quando criança, fiz dança e teatro. Veio até uma ideia de trabalhar, dentro da escola, um projeto que envolva o teatro. Vou conversar com a diretora, pois percebi o interesse dos alunos”, ressaltou a professora.

Por fim, ela agradeceu ao Teatro Manauara e à Seduc-AM pela parceria que trouxe a oportunidade de levar os estudantes ao teatro. “Às vezes, é importante sair um pouco da sala de aula, ainda mais para conferir um espetáculo teatral. Eles [os estudantes] gostaram e interagiram bastante, assim como nós, professores”.

FOTO: Cleudilon Passarinho/Seduc-AM