Amazonas Notícias

Projeto Manaós, da Fiocruz, se destaca entre experiências de impacto local selecionadas pelo Laboratório Latino-Americano de Práticas de Participação Social em Saúde

O Projeto Manaós: Saúde Indígena no Contexto Urbano, desenvolvido pela Fiocruz Amazônia, foi selecionado pelo Laboratório Latino Americano de Práticas de Participação Social em Saúde, criado pelo Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), como uma das 30 melhores experiências de impacto local em saúde de populações vulnerabilizadas que participaram da seleção de projetos aberta no ano passado. O Laboratório tem como finalidade possibilitar trocas e aprendizados, além de potencializar as ações dos atores envolvidos na execução dos projetos em níveis regionais, nacional e internacional, com as experiências escolhidas a partir dos eixos Participação e Controle Social em Políticas Públicas de Saúde e Participação e Engajamento Comunitário em Práticas de Saúde.

No último dia 11/05, o projeto foi uma das cinco experiências apresentadas durante a terceira live do Laboratório. Serão realizadas, no total, seis encontros virtuais que terão como finalidade dar visibilidade aos projetos. Apresentado pelo pesquisador da Fiocruz Amazônia, Rodrigo Tobias de Souza Lima, coordenador do projeto, o Manaós é desenvolvido no Parque das Tribos, o primeiro bairro indígena de Manaus. O projeto foi aprovado na Chamada Pública 001/2021 do Edital Inova Fiocruz, com foco no apoio a propostas que dialogam com os objetivos, princípios e pressupostos do Subsistema de Atenção à Saúde Indígena. Na primeira fase, o projeto realizou o mapeamento dos perfis socioeconômico e da saúde da população que vive na comunidade, identificando os processos de organização sociocultural e política, no acesso aos serviços de saúde.

Os projetos selecionados pelo Laboratório Latino-Americano de Práticas de Participação Social em Saúde participarão do processo de intercâmbio, por meio de oficinas e troca de experiências, dentro do desenvolvimento proposto pelo Laboratório de Inovação. Além disso, receberão um certificado de reconhecimento do projeto.

 As experiências consideradas como de destaque irão compor uma publicação organizada pelo CNS e pela Opas. “O Manaós tem ganhado dimensões de notoriedade local, regional e internacional, o que para a coordenação do projeto é bastante gratificante, uma vez que em pouco mais de dois anos de atuação já iremos fazer parte de uma publicação inédita, tornando-o referência para a Região das Américas”, afirmou o pesquisador.

Além do Brasil, Uruguai e Colômbia também tiveram experiências inovadoras selecionadas e presentes na terceira live do Laboratório, cujo tema foi “Participação Social em Saúde para garantia do direito de populações em situações de vulnerabilidades”.

Confira: https://youtube.com/live/zY9KouDBBFo?feature=share

LABORATÓRIO DE INOVAÇÃO

O Laboratório de Inovação Latino-Americano de Práticas de Participação Social em Saúde recebeu 146 relatos de experiências (125 nacionais e 21 internacionais), sendo que 122 foram homologadas por cumprirem os requisitos do edital (20 internacionais e 102 nacionais), disponíveis para conferência no mapa, organizadas por eixo e/ou por Estado, disponível no site do LIS. ( www.apsredes.org/lis-cns ).

Entre os eixos previstos no edital de chamamento, foram homologados 79 relatos do Eixo A – Participação e controle social em políticas públicas de saúde e 43 relatos do Eixo B – Participação e engajamento comunitário em práticas de saúde. Todas as experiências homologadas estão acessíveis no site do Portal da Inovação na gestão do SUS ( apsredes.org ), compondo um mosaico. As experiências foram consideradas potentes e vão contribuir para o fortalecimento da participação social em saúde, segundo os organizadores.

A primeira live, realizada no dia 19 de abril, abordou experiências de participação social que enfatizam a importância da comunicação dialógica e descentralizada para o Sistema Único de Saúde. O intercâmbio de conhecimentos mostrou como as experiências potencializam as ações dos conselhos, das entidades, dos movimentos, da comunicação como estratégia de fortalecimento da comunidade, como manifestação das necessidades das populações em suas diferentes situações e de conscientização de educação em saúde. O resultado foi um panorama das variadas facetas da comunicação que ajudam a fortalecer o SUS. Saiba mais aqui: https://apsredes.org/experiencias-de-participacao-social-enfatizam-a-importancia-da-comunicacao-dialogica-e-descentralizada-para-o-sistema-unico-de-saude/ . A segunda live, que aconteceu no dia 25 de abril, teve foco na garantia da cidadania, com o intercâmbio entre experiências que lutam pela concretização do direito à saúde nos países latino-americanos. Saiba mais em: https://apsredes.org/cooperacao-horizontal-entre-paises-da-america-latina-destaca-praticas-de-participacao-social-em-saude-para-a-garantia-da-cidadania/ .

Relacioandos