O radialista Adson Matos foi indiciado por estupro nesta terça-feira (29), na Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) e vai responder às acusações em liberdade. O inquérito policial foi encaminhado à Justiça e o Ministério Público é quem vai decidir se oferece, ou não, a denúncia para que ele seja processado.

O comunicador foi acusado pela ex-enteada, hoje com 18 anos. Ela contou em depoimento à Depca, que os abusos ocorreram quando ela tinha 16 anos, na casa onde ele morava com a mãe dela. Após o crime, a jovem tentou suicídio, se mutilou e cortou os cabelos para, de acordo com ela, parecer feia. Ela então passou a ter tratamento psicológico.

De acordo com a vítima, em entrevista à Rede Amazônica, no dia do estupro, a mãe tinha ido à academia, e a deixou em casa com o irmão mais novo e o então padrasto.

“Meu irmãozinho tava doente, e ela deu remédio e ele dormiu no berço e eu fui para o meu quarto. Fui para o meu quarto e fechei a porta, mas não tranquei. Ele simplesmente abriu e veio com tudo pra cima de mim tirando a minha camisola e subiu em cima de mim”, relatou à Rede Amazônica.

Ela afirmou que no momento do ataque ficou sem reação e que, por medo que algo acontecesse com a mãe, não denunciou. Ela contou à emissora porque decidiu denunciar o radialista em dezembro do ano passado.

“Minha mãe me relatou que ele gostava tanto de homem quanto de mulher, e logo veio na minha cabeça o meu irmãozinho, e eu fiquei com muito medo de acontecer isso com o meu irmão também”, disse.

Após o depoimento, a polícia concluiu que a jovem foi vítima de estupro. No relatório da investigação, a conclusão é que a vítima possui sintomas pós-traumáticos compatíveis com vítimas de abuso sexual.

O radialista foi indiciado por estupro e vai responder às acusações em liberdade. Com informações do G1.