Reserva de Desenvolvimento Sustentável Puranga Conquista passa por fiscalização

Serradores foram autuados e madeira de origem ilegal foi apreendida, durante ação de órgãos ambientais

A Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Puranga Conquista, em Manaus, recebeu ações de fiscalização de 22 de junho até a sexta-feira (25/06). Na ocasião, as equipes flagraram a retirada ilegal de madeira da Unidade de Conservação e autuaram cinco serradores pela atividade criminosa.

A ação faz parte do plano de fiscalização da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), com o apoio da Delegacia Especializada em Crimes contra o Meio Ambiente e Urbanismo (Dema), do Batalhão Ambiental da Polícia Militar do Amazonas e do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam).

A fiscalização ocorreu após moradores relatarem o extrativismo ilegal de madeira na Unidade de Conservação, além das atividades de caça e pesca predatória na região do Rio Cuieiras, onde foi realizado o monitoramento de embarcações.

Na oportunidade, as equipes abordaram uma embarcação com 30 dúzias de madeira azimbre, que estava sem o Documento de Registro Florestal (DOF). O comandante e o dono do barco foram autuados e notificados a comparecer nas sedes da Dema e Ipaam para prestar esclarecimentos.

Em conversa informal, o comandante do barco alegou que os materiais foram retirados na Comunidade Apuaú, localizada na Área de Proteção Ambiental (APA) Aturiá-Apuazinho. A madeira foi apreendida e doada à comunidade indígena Três Unidos, para a construção de uma horta comunitária.

A Comunidade Bela Vista do Jaraqui também foi fiscalizada. No local, cinco serradores foram autuados e também encaminhados para prestar depoimentos à Polícia Civil. Com eles, as equipes apreenderam oito dúzias de madeira e uma motosserra.

Toda a madeira apreendida na Comunidade do Jaraqui foi doada para a associação comunitária, para apoiar a construção de uma sede. A motosserra foi encaminhada ao Ipaam.

As comunidades Araras e Baixote também receberam fiscalização, mas apenas as áreas de retirada ilegal de madeira foram identificadas. A Polícia Civil seguirá as investigações para identificar os infratores, que não foram localizados.

FOTO: Divulgação/Sema