A atuação da administração do prefeito Alexandre da Carbrás viabilizou a construção do maior projeto de habitação popular do interior do Amazonas com o Residencial Parintins. Desde 2013, a Secretaria de Assistência Social, Trabalho e Habitação (Semasth), trabalhou junto ao Ministério das Cidades, Fundo Nacional de Habitação e a Caixa Econômica para que fossem construídas no município unidades habitacionais para concretizar o sonho da casa própria de muitas famílias.

O Residencial Parintins está sendo erguido pela NV Construtora, na região do Macurani conta com 890 casas. As obras estão 80% concluídas e de acordo com o secretário de assistência social, Wanderley Ribeiro, a parte burocrática de responsabilidade da Prefeitura de Parintins em relação às casas Populares já foi concluída.

Wanderley recorda que no ano de 2013 ocorreram inúmeras ações para dá o ponto de partida da construção das casas, uma delas foi a criação do Projeto Técnico Social (PTTS) que é o acompanhamento das famílias cadastradas e o Plano Local de Habitação e Interesse Social (Plhis), os quais resultaram em documentações de suma importância e foi enviado a Caixa Econômica.

O secretário afirma ainda que desconhece qualquer outro tipo de documento anterior ao PTTS e Plhis que subsidiasse a construção das casas populares em Parintins. “Não tem como gestor nenhum adquirir habitação junto ao Ministério das Cidades e Fundo Nacional de Habitação sem documentação e planejamento como Projeto Técnico e Plano local de Habitação, os quais não existiam antes dessa gestão”, destacou.

Wanderley também informou que nos últimos dois anos foi realizado corretamente o processo de cadastramento das famílias na Escola Lila Maia e enviado a Caixa. Além disso, ele afirmou ter participado de várias reuniões junto a Caixa em Manaus com os responsáveis pelo setor habitacional para realizar a entrega e a correção dos documentos, bem como ocorreram audiências públicas no município para ouvir opinião da população e criar o Conselho Municipal de Habitação. “Foi na gestão do prefeito Alexandre que criamos também o Grupo de Analise de Empreendimentos (GAE) para dar andamento na construção das casas populares no município”, disse.

Abandonadas

Wanderley lamenta que no passado recente o tema moradia popular foi usado apenas com objetivo eleitoral sem que fossem concretizadas ações que beneficiassem a população carente. Ele afirma que hoje o setor habitacional é prioridade na Prefeitura de Parintins diferente de outras gestões. “As casas populares do bairro Pascoal Allágio deixadas inacabadas pela gestão anterior são o maior exemplo disso. Foram abandonadas e muitas famílias que foram até sorteadas estão até hoje sem uma casa própria, sofrendo uma série de dificuldades”, relata Wanderley.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here