Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

-publicidade-

Ricardo Nicolau afirma que subnotificação de mortes por Covid no Amazonas deve ser explicada à CPI

Governo do Estado também precisa esclarecer altas taxas de letalidade hospitalar, defende deputado

O deputado estadual Ricardo Nicolau (PSD) afirmou que a quantidade real de óbitos ocasionados por Covid-19 no Amazonas é maior que os números divulgados oficialmente. O parlamentar defende que a subnotificação de dados e as altas taxas de letalidade hospitalar da rede pública sejam esclarecidas pelo governo do Estado à CPI da Pandemia, no Senado Federal.

“A quantidade informada de mortes pelo Estado é mentirosa. Ela foi subnotificada. Foi escondida porque há um número muito maior de óbitos por Covid no Amazonas. Se com os óbitos subnotificados, já somos campeões mundiais, imagine se colocassem a verdade”, diz Ricardo Nicolau, em referência à divulgação de óbitos pelo Estado, que ultrapassa a marca de 13 mil vítimas.

O deputado destaca ter recebido relatos de óbitos registrados com causas diversas da Covid-19 no Hospital Delphina Aziz, sendo que a unidade trata exclusivamente de pacientes da doença desde o início da pandemia. “Tem paciente que sai do Delphina com causa mortis de septicemia (infecção generalizada), uma das tantas complicações da Covid, por exemplo”, aponta.

Letalidade pode superar 90%

Na avaliação do parlamentar, que é gestor hospitalar no setor privado, a taxa de letalidade de pacientes intubados no sistema público estadual pode ser superior a 90%, enquanto a letalidade hospitalar geral deve chegar próximo de 60%. Para tentar conseguir acesso a essas informações, Ricardo Nicolau precisou recorrer a uma ação em tramitação na Justiça.

“60% das pessoas que entram num hospital público morrem. 90% dos pacientes que são intubados vão a óbito. Não há em nenhuma literatura, em nenhum lugar do mundo uma taxa de letalidade tão alta como temos em Manaus. Isso precisa ser esclarecido na CPI da Pandemia e também para as famílias que perderam os seus entes queridos”, lamenta o deputado.

Foto: Danilo Mello / Diretoria de Comunicação Aleam

-publicidade-