C360_2015-02-10-08-15-43-954Chama atenção uma extensa faixa pintada de vermelho no canteiro da Av. Boulevard Álvaro Maia, na zona centro-sul de Manaus. A ideia da construção da ciclovia que liga a zona sul com a oeste é da Prefeitura de Manaus, mas, a “inovação” não agradou no mesmo nível do que foi ostentado por alguns meios de comunicação em massa. A prova disso, é que o assunto virou piada nas redes sociais. Os internautas estão questionando como os pedestres irão disputar o espaço com os ciclistas: se andarão sobre os bancos e canteiros ou irão correr o risco de serem atropelados por bicicletas ou carros.

Na concepção da vereadora Rosi Matos (PT), a Prefeitura de Manaus precisa melhorar seus conceitos sobre planejamento de transporte cicloviário urbano. A parlamentar observa que os pedestres continuarão disputando a calçada com os ciclistas mesmo com a separação das pistas (um lado para ciclistas e outro para pedestres) ao circularem no lado oposto da rua. A vereadora considera a obra uma falha da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf).

“Tenho acompanhado a insatisfação dos internautas nas mídias sociais que, assim como eu, perceberam algumas contradições quanto ao planejamento cicloviário, no Boulevard. O fato está servindo de gozação. Portanto, espero que a Prefeitura de Manaus, através da Secretaria de Obras, faça uma revisão no Projeto e promova mais estudos técnicos dos locais onde serão construídas as próximas ciclovias, pois é um direito dos ciclistas e pedestres ter como resposta o resultado de um projeto satisfatório e não vexatório”, alertou Rosi Matos enfatizando que os gastos mal aplicados ou desnecessários geram prejuízos aos cofres públicos.

O investimento inicial feito pela Seminf neste trecho da ciclovia é de R$1 milhão e, até a conclusão da obra, deve ser gasto R$ 22 milhões, segundo informações da Seminf à imprensa. Na avaliação da vereadora Rosi Matos, a obra é muito cara tendo em vista o reaproveitamento da estrutura ali já existente (calçadas). Ainda de acordo com a vereadora petista, não basta somente construir ciclovias, é necessário investir mais em programas de conscientização do trânsito e colocação de placas de sinalização, garantindo a segurança dos pedestres e ciclistas nas vias, principalmente as mais movimentadas.

Esse meio de transporte já se tornou popular em outros estados do Brasil. O Rio de Janeiro, por exemplo, é a cidade campeã em ciclovias. O município apresenta o maior número de vias com 361 km e a previsão é de que possa chegar aos 450 km, em 2016. Mas, Amsterdã, capital da Holanda, é a cidade que mais se destaca no transporte com bikes. Com 400 km de ciclovias, possui uma área territorial e população menor em comparação ao Rio de Janeiro. Já, a cidade de Manaus, aparece em último no ranking de ciclovias planejando construir 80 km até 2016.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here